terça-feira, 29 de junho de 2010

Minha Ilha dos Amores


FOTOS GOOGLE



ILHA dos AMORES…



Portas de ouro e luz, cenário de paraíso terreal
vivenda etérea de deusas exóticas (sem espaço e sem lugar!)
reencontro de prémios, merecidos, ganhos na dor,
ambiente místico do herói, na pulsação inicial…

Mundo de beleza original, irreal,
que os deuses aos lusos nautas concederam…
Índia distante…
Portugal mais perto…
e o Tejo ansioso pelo odor da riqueza oriental…

Encontro do Homem com seu EU mais natural
transformado em deus,
por vontade de Júpiter pai,
que abdica das filhas…

Puras mortais, as deusas transfiguradas, agora,
premeiam os nautas com magias desusadas…

Êxtase solar… comunhão humano-deícola…
Deleite puro (palavra desnuda e límpida!)
Sol escaldante, rios luxuriantes e vegetação reconfortante,
Tudo em modo a compensar os lusos navegantes.

Thétis, deusa do Mar, esposa do Oceano,
dona das verdades aliciantes e futuras,
aliada de VÉNUS, nestas aventuras,
anuncia ao capitão outras venturas e desventuras…
… que o foram!até não haver mais procuras!

DEPOIS…


Voltado para a utopia da realização do Homem
em plenitude e alegria,
O mito paradisíaco desfaz-se nas mãos dos novos lusos deuses:
a felicidade não existe num fluxo temporal alargado…
Desfaz-se no dia- a –dia dos actos naturais…


C8H-14/103-VDS/010

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Uma visão, muito pessoal, dos jornais de hoje...

FOTO GOOGLE



Para além de crise financeira, de SCUTs, da PT versus TELEFÓNICa... e ainda para além dos pobres e dos desempregados...algumas notícias a que dou relevo:

1-O país rendido às vitórias da Selecção Nacional, à espera do jogo com a Espanha, não pode tirar os olhos das 4 principais estações de TV, onde os jornalistas cumprem o dever de repetir até à exaustão, a mesma notícia da hora antes da hora antes da hora...
Novidades? para já, nada...excepto as dos GRANDES de antigamente,como a Itália, a França, a Inglaterra que,tão engrandecidos em eras passadas, à custa do "NÃO VI!" de certos árbitros, já estão a descansar nos seus países, à sombra dos seus ENORMES ordenados.

Tenho que ser honesta: nunca gostei do actual seleccionador nacional!GOSTO DEMAIS DA MINHA SELECÇÃO , E POR ""ARRASTAMENTO", do senhor QUEIRÓS...Vibro com SIMÃO, com COENTRÃO, com TIAGO, RONALDO e todos , TODOS os outros, titulares ou não, que vão mantendo a alegria nacional ao rubro, no momento em que o país se afunda, com a falta de visões estratégicas do homem que nunca teve visão de nada e ,por isso, estamos como estamos... ÀVANTE...
UM "muito obrigada" a todos vós , jogadores da nossa selecção, que nos tendes dado a alegria de ver os portugueses singrarem noutas"navegações" que não as fábricas de chouriças onde estão agora a trabalhar ,porque ,como Professores, Advogados , ENGENHEIROS, não têm cá trabalho...

Entretanto: onde anda a FIFA quando os árbitros fazem o que fizeram ,ontem, escandalosamente? E por que motivo tem que ser um espanhol o árbitro do encontro PORTUGAL-ESPANHA, se havia outros, doutros "ALÉM"?

2-Notícias publicadas nos jornais que hoje comprei, o"PÚBLICO" e o "DIÁRIO DE NOTÍCIAS" dão conta que começam as sondagens e que o grande líder se afunda, cada vez mais. nas mentiras que, ao longo dos anos, tem contado aos portugueses... Afunda-se nas nossas bolsas, porque nas dos "BOYS" amigos há cada vez mais dinheiro, proveniente de cargos para eles criados e pagos "a peso de ouro"...
E aquela do assessor do ministério das obras públicas ir agora vender os "chips", para outro "posto", bem pago, evidentemente...?????????

3- Anda excitado, nervoso, o poeta ALEGRE!Vá-se lá tentar saber porquê...
Penso eu, de minha cabecinha!,que o dito senhor político, não vê a hora de ter uma audiência de "fiéis cordeirinhos", à sua frente, com um microfone disponível. para começar a "zurzir" no PRESIDENTE da REPÚBLICA!
Ainda não percebeu o douto senhor a triste figura que faz, ao ir mostrando ao eleitorado o seu verdadeiro carácter. E se eu bem conheço o meu povo ,sei que as pessoas não gostam deste tipo de dislates quando vêm de pessoas que têm obrigação de mostrarem, com boa-educação, que os seus pais gastaram bem o dinheiro que investiram neles...Tristemente, enquanto se preocupa em provocar um cidadão que já deu provas de que só fala quando lhe convém, deveria falar de si próprio, do seu programa como aspirante ao cargo, de que outro já fez o tirocínio...

4-DE resto, meus amigos, a "OESTE,NADA DE NOVO"...tirando as manifestações no CANADÁ,cortes de financiamento em tudo quanto é vida dos pobres portugueses, o facto de haver tanta miséria ,em PORTUGAL, que 31% dos agregados familiares "...SÃO QUASE POBRES..."e vivem, afundando-se, cada vez mais, no charco da miséria...
Alguém de boa vontade, será capaz de me explicar a diferença entre"QUASE POBRES" e "VERDADEIRAMENTE POBRES?"???


E ,hoje, fico-me por aqui. Não tenho ainda definida a minha simpatia por nenhum dos senhores de quem se fala, para PRESIDENTE da REPÚBLICA PORTUGUESA...QUEM TERÁ ?


ATÉ BREVE!

sábado, 26 de junho de 2010

POEMA:NOCTURNA PEREGRINAÇÃO...

FOTO GOOGLE


NOCTURNA PEREGRINAÇÃO…


Peregrinaram pelo teu corpo
estas mãos com que o confesso;
Vagarosas…indolentes…
fixaram-se em pontos quentes da Entrega…
Irromperam, corajosas, por ti, floresta de Vida desconhecida,
prontas a colonizá-la de flores de pujantes cores,
de vida, ainda esquecidas…
Senti o sonho do sangue que te corria nas veias…
Tacteei teus espaços conturbados… mistérios desvendei…

MAS… a Noite da Vida não permitiu
que te instalasses
na ternura das minhas mãos…
E meus olhos vagabundos, passaram a procurar
esse odor de suor
transpirando Amor…

Perderam-se na lonjura do frio desse pontual calor…

Os deuses de tudo sabiam;nada desconheciam
dessa VERDADE-MENTIRA
que eu tinha que viver…

Os ramos da minha árvore
divindades coloridas,
que iluminam meus dias, aí estão, duros, saudáveis
protegidos pela LUA, que um dia foi minha e tua!

Guardei as distâncias como manda a DIGNIDADE…
Não sinto qualquer Saudade
de uma qualquer peregrinação…
Como ave que voou, na hora exacta,
Em equilíbrio e com brio,
Superei a solidão!

Ao fechar os olhos em auto reflexão
Garanto que não te vejo…
Não há resíduos de ti… NÃO! Não há…


C8H- (vds) -20/104-2010

sexta-feira, 25 de junho de 2010

POEMA:palavras fugidias...


Árvores perdidas
pelas veredas verdejantes
oferecendo frutos maduros roxos
cor da dor do sofrimento...

Cravo meus olhos escaldantes no calor
da tarde do meu Alentejo choroso,
-que sabe a tormento!-
mas que tanto almejo.

Atiro ao suave vento
as palavras com que me Conheço...

Reencontro-as, depois, mas volto a esmiuçá-las
para continuar a conhecer-me, a descobrir-me
na Verdade que se impoe!

Como regato que escapa por entre ervas verdejantes,
são elas a gota de água que me alenta,
na tarde escaldante.

Uma sombra de Florbela passa pela seara...
Oiço-a correr pelo trigal cantando o calor
nos seus poemas-Amor
na sua planície em fogo...
E corro com ela...
através de urzes e searas...
...e quero beber a GOTA de DEUS
que ali cai, com Amor!

Cheira-me a mocidade!
Sofro a alegria da SAUDADE...
FECHO OS OLHOS...ENGULO O TEMPO...
...e vivo o meu momento...

C8h-15/103-ABL/010

quinta-feira, 24 de junho de 2010

quarta-feira, 23 de junho de 2010

terça-feira, 22 de junho de 2010

IIª PARTE da MEDITAÇÃO "À esquina do tempo..."

Concluí ,há dias, a primeira parte deste artigo, dizendo-vos:"Poderá alguém estar mais à esquina do tempo, do que quando lê PESSOA?
Pode , sim!Pode, quando , ao ir pelo mundo fora, na sua vivência humana, contacta com outras culturas, outras gentes,outras paisagens do incomensurável ÉDEN que é o UNIVERSO, a TeRRA em que vivemos;ou então, quando deixa passar o tempo de vida na congruência da sua adaptação , quase feroz, ao meio ambiente do seu telurismo!

Pode Sim!... , quando se enriquece culturalmente, quando enfrenta a aspereza da vida... Em pleno agreste Oceano, ali na Ponta de Sagres, sentindo perigos velhos,
com o ar carregado de humidade, com os ventos furiosos uivando como lobos ferozes e com o marulhar das águas do mar a desfazerem-se de encontro aos promontórios grandiosos...ou , ao olhar estes mares conhecidos das naus e caravelas... o homem está também," à esquina do TEMPO", pois venceu, na grandiosidade , os monstros e mostrengos, horrores e temores, que o forçaram a rodar, enérgico, a força da roda do leme!

Pode sim!...Quando ,ao recuar, nessa esquina,vai encontrar, de rompante , AFONSO HENRIQUES no campo de batalha, onde "começou o SONHO" e pode sim, quando se encontra em ALJUBARROTA, em 1385, frente aos castelhanos que venceu...
Recordo que perdeu ,no confronto com a "esquina do Tempo" ,em ALCÁCER- QUIBIR. com a loucura de SEBASTIÃO, O DESEJADO... Mas pôde vencê-las também, quando em 1910, por ruas e ruelas de LISBOA, levantou, bem alto, a BANDEIRA DA REPÚBLICA!

PODE sim! vencer a maldosa "esquina do tempo", quando vê o SOL de Portugal, diferente, acolhedor , brilhante... tanto, que não há esquinas oblíquas que vençam o QUERER do "pequeno bicho da terra"( CAMÕES).O mais significativo ,para cada um de nós, em qualquer contexto, seja ele histórico ou cultural, é manter uma visão de lucidez, lutar por uma vida decente no meio das Nações e fazer com que o inferno e a esperança consigam conviver, na palma da nossa mão ..Procurar o equilíbrio para sobreviver às "esquinas"exige auto conhecimento... e ter a consciência de que é preciso brincar com a Primavera e gozar o prazer de sentir as folhas das árvores na mão ou a neve a derreter-se por baixo dos pés...

Mas é também ler AQUILINO RIBEIRO, SHAKESPEARE, EÇA DE QUEIRÓS, MÁRIO QUINTANA, NatÁLIA CORREIA ,MIGUEL TORGA... SOPHIA...É usar o Dicionário e admirar a riqueza metalinguística (significado)das palavras, sabiamente encaixadas no contexto da MENSAGEM, de tal modo que chegamos à conclusão de que o pobre D. QUIXOTE de CERVANTES é uma verdadeira paródia ao mundo moderno, no qual os "nossos" políticos, banqueiros ,empresários, não são mais que os "SANCHO PANÇA" desta ILHA da BARATARIA,em que o mundo se transformou, para eles vencerem!

Não permitamos que as arestas das "esquinas"firam o nosso coração ou varram a nossa existência! Estejamos às "esquinas", se for necessário,com a dignidade daquilo que somos : seres humanos, com direitos e deveres( em PORTUGAL, infelizmente, mais deveres sem direitos!)

RECUSEMO-NOS A SER TÍTERES, nas mãos dos desgovernantes!

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Poema:LUA MÁGICA

(foto google)



“LUA mágica...




Noite escura…
Rompendo
por detrás das nuvens
carregadas,
surge uma luz,
em crescendo…

Lentamente
aparecendo,
inunda de luz a Terra.
Não olha à PAZ ou à GUERRA!
Vê apenas o caminho,
que vai cortando,
de mansinho,
até pôr os pés no chão…

Lua do meu coração!

Levantas-te ,
suave e lenta,
chegando até bem pertinho…

VEM !
Acompanha-me a casa!
reacenderei a brasa
que espera por aquecer.
Aí, ficarei a ver,
a força do meu viver
até outro amanhecer...

E ,de mansinho,
ela segue o meu caminho...

Espera o meu adormecer,
para me ver renovar
a magia do luar, com que pretendo viver!

Lua altaneira...
De uma ou doutra maneira,
mestra e mensageira do amor,
veremos o abrir da flor...

Ficaria ,aqui, contigo,
se não fosses um perigo...
O teu suave brilhar
Dá-me asas, ao pensar
no que poderia ser,
ter-te aqui , no meu abrigo...

Não! não venhas comigo...




C6F-98/11- MAIO/09

domingo, 20 de junho de 2010

sexta-feira, 18 de junho de 2010

POEMA: Sementes- Vida



FOTOS GOOGLE(se alguém não quiser estas imagens pubicadas, por favor, diga-me)






“Sementes- vida”

Dou-me à vida
Que passa soberba
Nos zumbidos
Que sopram ao meu ouvido.

Sou dádiva serena do Amor,
Que redime o que o sentimento exprime…

Voz de Vida! Ceder de Amor!
Imagem apetecida, com tanto fragor!

Primavera do meu corpo
A florir doces flores…
Minha terra preparada
Prontinha para o Amor…

A semente, já oculta,
Exulta com o fragor
Da gota de orvalho,
Que lhe molha o soalho…
Soalho…pé firme… terra- húmus…
Ventre maternal
Donde vem o cereal!

Na Hora, no Momento preciso
A foice cortará a seara
Já sem seiva…mas com fruto!
E o pão do materno Ventre- Natureza
Chega, então, à nossa mesa!

Uma flor adorna a toalha de branco linho,
Onde espera o manjar… quentinho!

Ventre de Mãe
Afaga seu precioso bem…

C7G/45/52-FEV/010

quarta-feira, 16 de junho de 2010

ORIGENS DO FADO: CANÇÃO DE LISBOA OU CANÇÂO NACIONAL



FOTOS GOOGLE




FADO: CANÇÂO NACIONAL? ou CANÇÃO DE LISBOA??





Dei comigo a questionar este tema, depois de ter visto, um dia destes, uma alusão a esta questão. Pois se nós até queremos que o FADO seja PATRMÓNIO DA HUMANIDADE…Mas, a coisa, afinal, não é tão fácil de discutir como se possa pensar…
Fui à BIBLIOTECA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA pesquisar e fui ver, na NET, o que se diz a este respeito. Por tal motivo, aquilo que aqui vos deixo, é fruto de muito trabalho e só não é maior este post, porque eu sei que dá trabalho a ler…
Uma questão que se impõe: como, quando, de onde, surgiu o Fado?
Os historiadores são menos que unânimes a respeito deste assunto! E eu que pensava ser fácil dizer que nasceu em Lisboa, lá pela zona das docas, do porto de embarque e que, como as mais importantes manifestações vocais dos portugueses, se foi espalhando, de boca em boca e de geração em geração, partindo do canto das prostitutas do ambiente marítimo, nas tavernas, para todos os outros pontos de Portugal…
Há investigadores que defendem a tese anterior, de que foi ali, nas ruelas da capital que o fado nasceu, como uma cantoria cantada e tocada por pobres, indigentes e prostitutas do cais, que trabalhavam nas tavernas, onde aportavam marinheiros, comércio,.
e culturas de todo o mundo.

Outros, defendem a proveniência do Fado já dos tempos do romanceiro Português, com raízes na Idade Média, no tempo das monocórdicas cantigas árabes, dos lamentos das damas das Canções de gesta, que foram sofrendo alterações ao longo das eras, à medida que passavam de geração em geração. Tem sido fruto de grandes estudos e teorias, a origem do Fado. O historiador JOSÉ ALBERTO SARDINHA defende esta tese; o músico RUI VIEIRA NERY associa as origens do Fado a sítios bem longe de Lisboa, indo pelas influências árabes do tempo da Reconquista, passando pelo Bairro da MOURARIA, estando, por conseguinte, na linha de SARDINHA. As dolência e melancolia comuns ao Fado , bem a par da SAUDADE ,situam-no em PORTUGAL e nisso parece não haver divergências. Outros historiadores defendem que, num período em que a primeira globalização da História nos levou a entre ligar três continentes como Europa, América e África, o mesmo se passou com a cultura, os usos, costumes e tradições, pelo que nada mais fácil que umas civilizações sofressem as influências das outras…
Daí que nada mais natural que a Cantiga Portuguesa possa ter influências também das MODINHAS e do LUNDUM brasileiro, nomeadamente. É bom não esquecer que a corte portuguesa se mudou para o BRASIL, no século XIX, por causa das invasões francesas; com a corte e os colonos levámos a nossa cultura que foi influenciada (eu diria, enriquecida) com a cultura dos índios ameríndios e a dos escravos.
O porto de mar, em Lisboa, era, por conseguinte, o ponto de encontro de gentes variadas. O cantar dos marinheiro, as cantigas tristes dos degredados, as de” levantar ferro”,as cantigas de todo o tipo de fainas à beira do porto, as cantigas dos marinheiros à proa dos barcos que iam zarpar…eram de melancolia, de saudade amarga e feroz, como só a VIDA exige…

A seguir transcrevo aquele que é considerado o mais antigo Fado de PORTUGAL, o FADO DO MARINHEIRO:

“Perdido lá no mar alto/Um pobre navio andava;/Já sem bolacha e sem rumo/ a fome a todos matava./Deitaram a todos as sortes/ A ver qual deles havia/ Ser pelos outros matado/ P’ro jantar daquele dia. /Caiu a sorte maldita/ No melhor moço que havia…/
Ai como o triste chorava, /Rezando à Virgem Maria! /Mas, de repente, o gajeiro/ Vendo terra pela proa/Grita alegre pela gávea/ Terras, terras de Lisboa”- in CANCIONEIRO POPULAR.
Hoje, o fado afidalgou-se! Embora a sua temática seja sempre o sofrimento, a saudade, o amor traído, a tragédia, a desgraça, o ciúme e outras “misérias” da Alma, desde o passado século as letras são mais cuidadas, os sons enriqueceram-se e o vocabulário é moderno.
Desde os tempos de AMÁLIA, HERMÍNIA SILVA E MARCENEIRO o Fado começou a galgar distâncias e a correr mundo, como fizeram os antigos marinheiros. Hoje vemo-lo actuar na sensibilidade de povos como os japoneses…E os nomes de MARIZA, TERESA SALGUEIRO, CAMANÉ, KÁTIA GUERREIRO, ANA MOURA e tantos outros, enlouquecem plateias de todo o mundo.

Falta-me referir o chamado “FADO DE COIMBRA” que de fado, segundo os entendidos, nada tem, pois é uma balada, toada, trova… mas não FADO; hoje canta-se o fado com a preciosa prestação de serviços da GUITARRA PORTUGUESA, que nem sempre foi guitarra e nem sempre foi portuguesa! No tempo do Renascimento (XV/XVII) passeou-se pela EUROPA um instrumento de 12 cordas, chamado CISTRO, que foi para a Alemanha, Itália e Inglaterra, de onde veio parar a PORTUGAL. Ao longo das eras foi sendo modificado, de tal ordem que é hoje conhecido como Guitarra Portuguesa…

E termino: o fado representa, de qualquer modo, a melancolia deste meu povo, em constante sofrimento, seja por que motivo for… ao ouvi-lo, sente-se o cheiro inconfundível do mar, que nos arrastou pelos cantos mais recônditos do mundo…
E sim, são os bairros de ALFAMA, MOURARIA, MADRAGOA E BAIRRO ALTO que estão ligados às suas origens, pelo que o Fado, antes Canção de Lisboa, é hoje uma Canção nacional. Os bairros são PORTUGAL!

terça-feira, 15 de junho de 2010

segunda-feira, 14 de junho de 2010

POEMA: O banho de VÉNUS...


Fotos google


O banho de VÉNUS…

Pele nacarada maciez adocicada
beijada quase mordida excitada
pela espuma do mar bravio possante
apaixonado pelo NADA em OFERTA…

Caravelas desejadas ansiadas ansiosas
por voltas tão numerosas como ondas
furiosas desse mar azul prateado luzente
partem do Antigamente…

Marinheiros embrutados andrajosos
calosas mãos já bronzeadas queimadas
na solidão do Sol escaldante
lançam as redes do navegante…

Suspiros meus- Ai, meu DEUS-por tristonho navegar
Nas brancas areias molhadas pelo Mar de NEPTUNO
azedo desejoso de dominar seu mundo…

VÉNUS de véus transparentes provocantes reluzentes
segue branqueando o corpo macio perlado de desvario…

E ele, o MAR, perde-se neste corpo a brilhar
no fogo da NOITE que quer apagar…

EOLO, cúmplice também desata a soltar
os véus da deusa alheada que sente um vento…
…mais nada!

Num banho de maresia coberta de água-espuma
rebola em areias meigas matizadas
(ora de cá, ora de lá)
esperando o doce dia em que OUTRA VIDA virá…

C8H-(mst) 50/11- MAIO/10

sábado, 12 de junho de 2010

POEMA: Bodas de Fadas


FOTOS GOOGLE



“BODAS DE FADAS…”


Alindam-se com flocos de neve…
Procuram flores de todas as cores
para tecer grinaldas de fantasias.
Complexos dramas e outras feias histórias
permanecerão escondidas, banidas
sob a camada de neve abundante
na terra ,no ar e no mar.
A neve, em flocos, milhares de blocos finos
desfar-se-ão como algodão desfiado.

Elfos dos bosques, pequenos estranhos seres
da Natureza misteriosa,
não encontrarão outra verdade
que a hibernação das suas ilusões de felicidade…

E eu… apanho ramos secos, verdes, vivos,
odores exóticos, puros…
Com eles tecerei a grinalda da minha dádiva preciosa
em noite de misteriosa Lua cheia…inchada…

As flores campestres que abundam,
juntam forças na boda das fadas
com a Natureza confidente.

QUE FRIO!

Passarão tempos…amargos nos gelos dos flocos de neve
De algodão húmido, por onde caminharão as fadas
A caminho da sua solene comunhão…

DEPOIS…
Exultará o Mundo, “ao toque a rebate” do SOL
Noutra era… a PRIMAVERA!

Nas flores e ramas das árvores quentes,
Poisarão tantos ansiosos animais
Em atitude louca,
Cheirando o chamamento das energias do Encantamento
Da VIDA!

Então a Lua, recatada, esconde-se por detrás de
Tímidas nuvens…não quer espreitar estes actos de AMOR…




C8H-6/34 (mod)- MARÇo/010

sexta-feira, 11 de junho de 2010

"Sobre o 10 de JUNHO,"DIA DE PORTUGAL..." "

Foto google



Comemorou-se, ontem,mais uma vez, este dia.
Dia, também,de"Camões e das Comunidades Portuguesas" espalhadas pelo mundo .Muitos esperam esse dia para "a festa" da Parada Militar(!), da atribuição de medalhas, dos discursos a engrandecer o país...
Eu adorei a "vaia" a Sócrates!Primeiro com "cara de pau" e, depois, com os sorrisos de circunstância, a fazer de conta, lá teve que suportar o grande discurso de ANTÓNIO BARRETO e o de SUA EXa , O SR. PRESIDENTE DA REPÚBLICA, donde ressaltou, a certo momento, o adjectivo "insustentável", no que se refere ao estado em que se encontra o nosso país.
Confesso que ainda não saí de casa para ir buscar os meus jornais; mas já ouvi na TSF o suficiente para saber que este adjectivo causou mal- estar ,em certas camadas políticas. O povo, esse já sabemos que estará, na sua grande maioria, de acordo com o sr. adjetivo, uma vez que é o povo simples e desempregado, que sente na vida, na bolsa e no "mês anterior" ,que falta peso no saco das compras...Isto ,porque, está endividado de mês para mês! e sabe que é ele que vai pagar os novos impostos, aqueles que os oportunistas multimilionários e as empresas pôdres de ricas, não pagam!

Agradou-me ,de sobremaneira, a honra e a homenagem prestadas, pela primeira vez, aos antigos combatentes de guerra que, por terem cumprido para com a Nação as ordens do regime caduco, foram, desde o 25 de Abril de 1974 ,de tal modo marginalizados, que parecem os "lazarentos" de PORTUGAL, a tal Nação "VALENTE E IMORTAL"...Creio não haver uma única família em Portugal que não tenha lidado ,de perto, com esse drama , que foi a guerra colonial.

É claro que ,por muito que o tal adjectivo tenha desagradado ao poeta alegre- triste, concordo ,PLENA E FRONTALMENTE, com o adjectivo!Só não concordo que se aplique essa palavra ,no princípio do discurso, para depois acabar o mesmo ,dizendo "que esta não é a hora de os portugueses e os partidos estarem desunidos..."UMA NO CRAVO E OUTRA NA FERRADURA"?
Falei no poeta ALEGRE- TRISTE...É claro que ,como ele está "numa camisa de forças" que é capaz de ter uma apoplexia, porque não pode "morder neste momento, a mão de quem lhe pode dar de comer, está mortinho que O PRESIDENTE anuncie que é candidato, para "malhar" nele...

De resto, quanto a este dia ,que faria chorar CAMÕES, se ele cá voltasse agora, náo tenho mais nada a dizer ,que não seja mandar um abraço de solidariedade aos portugueses na diáspora, que foram, como os portugueses sempre fizeram e continuam a fazer, para "terras do demo" (ou do dinheiro) à procura do bem-estar que lhes é negado no seu país, na sua aldeia, onde não entram os carros "topo de gama" dos incompetentes que nos des(governam).


VIVA O NOSSO QUERIDO PORTUGAL!!!

quinta-feira, 10 de junho de 2010

quarta-feira, 9 de junho de 2010

MOMENTO DE REFLEXÃO...


FOTO MINHA DO PARQUE NACIONAL DA PENEDA-GERÊS



MEDITAÇÃO



“À esquina do TEMPO”(Iº PARTE)



Num poema que publiquei, há dias, intitulado “À esquina de tudo”, encontrei motivo de reflexão, pois que o tema se presta a um posicionamento mental que engloba o TEMPO, como sendo a VIDA que cada um de nós tem. Dei comigo a pensar que, mesmo que nisso não pensemos, o quotidiano decorre com as nossas alegrias e as nossas tristezas, só porque o Tempo está sempre ali… à “esquina”! Faz parte do nosso percurso até que deixemos de existir, tal como ditam os deuses, que tudo sabem de nós e que, logicamente, nada nos dizem…

Só a Natureza, mãe orgulhosa das sombras e dos frutos com que nos presenteia, resiste ao terrível vexame de “acabar”… Rejuvenesce todos os anos, de todos os tempos conhecidos… consegue fugir à malfadada “esquina”; para ela, não há fim a que não se siga outro memorável princípio! Das doutrinas, filosóficas e teológicas dos amantes naturais da terra, os Druidas e os Celtas, há uma que sobressai e se relaciona também com o aspecto humano: “A alma humana é como a alma da Natureza: esta última não morre e as almas dos corpos, depois da morte, passam a outro “corpo”, seja ele o que for”.(in Os druidas e os celtas-HENRY D’ARBOIS).

Aqui, meus amigos, entra em acção o meu estimado cepticismo: não partilho desta terrível ideia de vir a ser um nabo ou uma portentosa sequóia… Não acredito nisso! Por tal motivo, ponto final nesse disparate e volto à minha linha de pensamento inicial: se me sinto a todo o momento”À esquina do tempo”, capto, pelos Sentidos ,os cheiros desse tempo que vai passando, batendo na minha face com o seu som e o seu toque original, que eu sinto sem ouvir… o Tempo não se ouve… tem-se, enquanto se tem!

Calma, não falo do VENTO…Falo do TEMPO, essa coisa misteriosa que é VIDA, que é PRESENTE e PASSADO… FUTURO, sê-lo-á? E, sendo VIDA, EU posso preenchê-la, seja noite seja dia, com a paisagem circundante, onde oiço os sons de vida dos pássaros, onde vivo o luar, onde alojo o ruído familiar do sino da minha aldeia, onde sinto a mão pesada, quer do SOL, quer da Chuva, no meu corpo, onde me dobro para apanhar uma flor ou um fruto…
Falo de outros tipos de coisas que fazem TEMPO-VIDA, como as melodias que o génio e o sentimento humano criam e encantam os meus sentidos e emoções, embalando-me o ouvido e o coração, fazendo-me cantar… dizer PALAVRAS, esse sagrado Sumo de MIM, "SER em COMUNICAÇÃO!"

Como ALBERTO CAEIRO (PESSOA) dizia:



“…Da mais alta janela da minha casa
Com um lenço branco digo adeus
Aos meus versos que partem para a Humanidade. (…)”
Pode estar-se, alguém pode estar mais `”esquina do tempo”, do que quando lê PESSOA?
PODE, SIM!(explicá-lo-ei, brevemente, à minha maneira)

FIM DA 1ª PARTE DESTE POST …( a concluir…)

terça-feira, 8 de junho de 2010

POEMA: Preciso de Sonhar outro ALÉM...

fotos google



É urgente Sonhar!
Filtro as Emoções da Ambição
E procuro perder-me… achando-me…

Tudo pode conduzir
- se o conseguir…-
à revelação do “eu-ser-magia”!

Sinto ser preciso mudar coisas na vida,
para que a vida mude coisas no Viver!

Fecho-me numa concha sagrada
para ver a Vida a mudar…
Levam-me as águas do mar
num constante marulhar,
por águas desconhecidas
e correntes atrevidas!

Procuro um ALÉM!
Preciso de Sonhar…

Aos tombos, na minha concha,
sonho, assim,
que sou um fio de mim,
um laivo de silêncio
na turbulência das léguas… sem fim…

MEU ENTARDECER ESFORÇADO!

Sinto passar, a meu lado, conchas de outros penares
levadas nos mares revoltos,
turbulentos absortos por um outro Navegar.

Mas que faço ,aqui, fechada?

- “Louca insana tresloucada!
Ouve a Revelação!
Sente a consciência!
Sai dessa demência!”

Oh! Por onde já” andei”…

Que caminhos percorri, enquanto fui sofrendo!
Ah! Mas …vivi…

Quero sair da clausura!
Sufoco sem o ar puro que advém das florestas,
densas, cheirosas, espessas,
onde falam vozes que não conseguia ouvir
outrora!

E vozes da Vida, a sorrir,
convidam-me a reagir,
a confiar no Porvir…

O meu Presente não fala de sonhos Futuros…
Fala de factos actuais, que podem nem ser reais…

PRECISO DE SONHAR!

Liberto-me, então, da concha fechada
E procuro meu outro ALÉM…


C7G-30/38-MÍST/09 –

domingo, 6 de junho de 2010

POEMA:SOLIDÃO...em companhia


Fotos google


“SOLIDÃO…EM COMPANHIA”



Fala só comigo, essa voz da solidão em que vivo;
Conhece as horas do meu rir e do meu chorar;
No intervalo, obriga-me a meditar…

Momentos da minha solidão, corajosos, aceites, desinibidos,
roçam a minha pele nua, macia,
pronta a aceitar as carícias do dia,
que se envolvem, depois,
numa manta de LUAR,
pronta a desaguar no ruído sibilino dos ventos,
que beijam de amor a maresia…

Minha VIDA está marcada pela tua presença constante, arrojada,
enquanto tento quebrar os laços que nos prendem, uma à outra,
soprando as ondas para que vás na jangada,
SÓ!
e a prata do MAR se deixe apanhar, numa rede de ninhos de AMOR
Do pescador…

ÁGUAS DO MAR…MEU RELÓGIO CLANDESTINO
Do TEMPO QUE VAI PASSANDO!...

A música que expeles, traz-me serenidade, em noite de estrelas,
enquanto me enrolo nesta solidão enfeitiçada,
tocada pelas memórias dos feitos-refeitos, da Infância atribulada!

A minha pele salgada correu os Oceanos,
que me foram possuindo nos Sonhos de maresia,
até nascer cada novo dia…

E este corpo roubado pelo mar prepotente
sabe a sal,nos Sonhos que deslizam perante
o espelho,onde os vejo… através da minha imagem!

E, quando encontro a Alegria, danço, descompassada
ao som da sinfonia das águas que me lambem os pés,
me enrugam a pele macia, me tocam o corpo, sensualmente,
cheias de estranha, viril, energia…

A MINHA VOZ INAUDÍVEL FALA
COM A MINHA SOLIDÃO, VISÍVEL…
E EU SOFRO… RIO… MEDITO!
EXPLUDO DE SENSAÇÕES…
(Sonho erótico, do qual não tiro conclusões…)
C8H-13/49 (mis)- Junho/2010, sensações

sábado, 5 de junho de 2010

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Prémio "CAMÕES" atrbuído , em 2010, ao grande poeta brasileiro FERREIRA GULLAR

Este prémio, instituído em 1989 para premiar os vultos de Portugal e do Brasil que mais contribuissem com as suas obras,para o engrandecimento e valorização das LÍNGUA e CULTURA dos dois países, tem sido atrbuído ,ao longo dos anos, a personalidades com este perfil.

O primeiro intelectual a recebê-lo foi MIGUEL TORGA.Este ano, com toda a justiça, embora nós, portugueses o não conheçamos, foi entregue ao grande poeta brasileiro FERREIRA GULLAR, de 80 anos , por uma obra toda dedicada a tentar explicar a VIDA, os dissabores da VIDA, as porcarias da VIDA, os sonhos e desilusões que as sociedades, mal governadas, geram no ser humano.Tive oportunidade de ler alguns- pouquíssimos!- poemas seus, nos livros do Ensino Secundário, que ,por vezes, faziam alusão a autores estrangeiros de Língua Portuguesa.É de um desses livros que passo a postar o seguinte poema, que ,por acaso, encontrei ,hoje, numa página da Internet, que o considera como INÉDITO:

"TOADA à toa"

A vida ,apenas se sonha
que é plena, bela ou o que for.
Por mais que nela se ponha
é o mesmo que nada por.
Pois é certo que o vivido
-na alegria ou desespero-
como o gás é consumido...
Recomeçamos de zero. "

Conhecido por ser um indivíduo virulento, permanentemente descontente com o rumo que os governantes dão aos países, sempre incapazes de trabalhar pela melhoria das condições de vida dos mais necessitados, sempre inoperantes no tratamento das injustiças sociais, o sub-desenvolvimento, a falta de justiça, saúde e educação, fez com que, naturalmente, a sua veia poética passasse essa MENSAGEM, de modo a que os ânimos populares tomassem consciência de que se deve lutar ,contra toda a espécie de tiranos, para que o mundo seja mais igual ,para todos.(IDEIA VáLIDA PARA PORTUGAL ,TAMBÉM)
Pretendo ,em primeiro lugar, prestar a minha homenagem a FERREIRA GULLAR, cuja obra, me disseram ontem na FNAC, vai ser editada, em função do PRÉMIO CAMÕES.
Em segundo lugar, presto homenagem aos meus leitores e seguidores do país -irmão, pois muitas vezes não consigo chegar a todos para vos comentar ,mas não deixo de pensar em vós.
Aos intelectuais brasileiros que lerem este artigo, peço desculpa se alguma afirmação não estiver correcta e peço, com toda a humildade , que me corrijam e dêem uma achega ao tema, para todos sabermos um pouco mais.

Diz o jornal "Público" , de há dias, que ,numa entrevista,GULLAR referiu certo dia, que "nunca moveria um dedo para ganhar este prémio... mas que, se lhe fosse atribuído, ficaria muito feliz"
Da obra de FERREIRA GULLAR, tudo é importante, mas são significativos os poemas da obra"POEMA SUJO", de 1975 e "DENTRO DA NOITE", do mesmo ano.

VINICIUS DE MORAES considerou-o o " maior poeta brasileiro"!

Que PENA DE NÃO VOS PODER DIZER MAIS...

ATÉ SEMPRE...




NOTA: NÃO ENCONTREI, NO GOOGLE, FOTOS DO POETA.

terça-feira, 1 de junho de 2010

"DIA DA CRIANÇA/1/6/2010."




Como Mãe e Professora, ficar-me-ia muito mal não mandar ,hoje, a todas as crianças , de PORTUGAL e do mundo, o meu coração cheio de AMOR, ternura, compreensão e... um pedido de PERDÃO por nem sempre, nós, os Pais e os Grandes, cumprirmos as nossas obrigações para convosco, meninos de todo o MUNDO.
Tenho perante os meus olhos e ,pertinho ao meu ouvido, as imagens de fome , de guerra, de sub-nutrição, de horror, de tantos seres inocentes que sofrem esses dramas,, perfeitamente apocalípticos, que as televisões nos põem perante o prato do nosso jantar e que, por vezes, fazendo-nos vir as lágrimas aos olhos ,nos tiram, também,a vontade de comer.

Refiro-me ,/referi-me, algumas vezes ao sofrimento dos pequeninos seres, não só nos países onde estão- neste momento!- a sofrer toda a espécie de arbitrariedades, como nos países onde estão instaladas ditaduras demoníacas. Mas hoje, falo em particular para as crianças do meu país.

Lágrimas nos olhos não bastam para vos dizer ,meus meninos, que compreendo o sofrimento que vai, agora, nas vossas casas ,onde as vossasa pobres Mães não sabem o que vos hão-de pôr na mesa, porque os PAIS, os de cada um de vós!, estão desempregados... Não se aflijam, meus queridos... as mães e os pais tiram "da boca" para que a sopinha, pelo menos, não falte.

Não sei se os meus meninos sabem, mas há uma CARTA dos DIREITOS das CRIANÇAS, que ,infelizmente, quase todos desconhecem e tantos outros preferem ignorar.

O nosso país está no fundo da tabela em muitos aspectos da VIDA, que vocês ainda não compreendem, mas a pobreza e a miséria das crianças, essa vocês compreendem...
Como compreendem ,também, que muitos não gostam de ir à escola porque "já sabem que não vão passar...!"

Não vos quero ,meus amores, a pensar de modo tão triste! Tenham amiguinhos, ajudem-se ,uns aos outros, não façam mal a este ou aquele só porque não tem "calças e vestidos de marca"... Esforcem-se por serem meninos com alegria de viver! Há, em muitos países do mundo, meninos que, de certeza, estão pior que vocês, agora!

Aos pais ,peço que me perdoem por ter tocado este assunto, assim, tal qual ele saiu do coração... Mas eu sou AVÓ E MÃE, também!
MEus amigos: há muitos assuntos de que se deve falar...abusos... maus tratos... mas não quero abordá-los neste dia...
ATÉ SEMPRE!