domingo, 31 de julho de 2016

Blog Lusibero com mais de 400.000 visitas!






Visualizações de páginas de hoje
880
Visualizações de página de ontem
999
Visualizações de páginas no último mês
28 889
Histórico total de visualizações de páginas
400 085
Seguidores
Gerir a monitorização das suas próprias visualizações de página

NOTA PESSOAL:



Nota Pessoal: Auschwitz nas lágrimas do Papa e do Mundo!

Comovente. Uma postura dramática, de quem leva às costas o peso dos crimes horrendos que aqui foram praticados, em nome do Inferno. Um ar sofredor. Sombrio. A seu lado, as almas dos que, chacinados, têm forçosamente, que estar no Céu, seja ele onde fôr! Momentos de uma solidão-em-companhia de todos eles e de todos nós. Senhor, eu creio! Creio que existe o Inferno! Creio que lá estarão os carrascos diabólicos! Creio que o terror de bastardos como hitler, pol pot, estaline está lá a arder. O terror e os diabólicos seres que o personalizaram! Quem tenha tido ocasião de visitar este campo de morte, não pode esquecer. Creio que as almas dos sacrificados judeus estão ali,...estão nas paredes dos fornos, estão na neve que chora sangue, estão nas cinzas que esvoaçam, em dias de vento.Creio que, depois de tal visita, nunca mais temos paz interior, porque o medo nos domina.O que aconteceu ao Homem que o fez transformar-se na BESTA? Por que existe o MAL de Hoje, tão bem personificado pelo DAESH, pelos que pensam ter autoridade para matar em nome da "sua" ideia religiosa"? A esta hora, no Sudão, na Líbia, na India e por todo o mundo caído em desgraça, são violadas e mortas centenas, milhares de crianças, mulheres e seres indefesos.

ONDE ESTÁ A HUMANIDADE?"


Maria Elisa Rodrigues Ribeiro

31 de Julho de 2016

O pensamento do nosso Rui Zink...



De Rui Zink (1961- ), in Net

"Onde Começa a Felicidade
«Aurea mediocritas» - dizia Horácio, um dos poetas latinos que faz a base da nossa civilização. As palavras com o tempo corrompem-se, alteram-se, adulteram-se. «Mediocritas» em português deu mediocridade, tal como «parvus» deu parvo, ao contrário do castelhano em que apenas significa pequeno, ou «sinistra» em italiano quer apenas dizer esquerda.


A «Aurea mediocritas» que cantava Horácio era a doce e suave mediania entre as emoções, um equilíbrio quase bucólico na vida a ter e nos negócios a ter na vida. Não, Horácio, romano educado, não era adepto dos desportos radicais.
Equilíbrio entre o quê? Distorcendo Horácio, a dois mil anos de distância, podemos dizer, talvez, equilíbrio entre o sonho e a realidade. A felicidade não pode ser só o que há, senão apodrecemos, mas também não pode ser só o que desejamos, senão ficamos com uma neurose de tanto ansiar pelo que há-de vir.

O resto é com cada qual. Alguns gostam da felicidade bovina de não pensar muito, outros gostam de estar sozinhos no deserto, outros ficam felizes com a desgraça alheia. Estes três exemplos são, cá para mim, desgraçados, mas o que sei eu dos outros? É por não saber nada dos outros que escrevo histórias sobre os outros. Para aprender. Haverá outra razão para fazer as coisas?

Felicidade é, pois, como o Natal - é quando um homem quiser. Nunca me canso de fazer versões sobre este mote do grande Paulo de Carvalho. Hei-de levar isto para a cova e se não me ocorrer mais nada (pode acontecer) esta será a minha última frase. E depois do adeus logo se verá.

*

Agora uma pergunta: por que motivo os adolescentes são tão infelizes? A resposta está, uma vez mais, em Horácio: porque não se encontraram. Não sabem nem quem são nem para onde vão, ou desejam ir. Felicidade começará, então, por ser estas duas coisas: saber o que se é, com um grau de aproximação razoável, e ter pelo menos uma vaga ideia do que se quer. E uma terceira característica: não saber que se é feliz. O excesso de autoconsciência estraga os alimentos.

Homens e mulheres felizes? Conheço bastantes. Todos eles, em comum, tinham estes três traços distintivos: aceitavam-se como eram, sabiam ao que iam, não pensavam demasiado em si próprios. "...

Rui Zink, in "Luto pela Felicidade dos Portugueses"

Através do amigo do facebook Manuel Torres da Silva, sobre a CGA( Caixa Geral de Depósitos), PORTUGAL















NA CAIXA COM CERTEZA
João Quadros - "Jornal de Negócios - 17.Jun.2016
(https://app.box.com/s/7p8ddamttf3n3tmqmqrnlf8xmmfospb5)
"... O mais curioso deste tema, Caixa Geral de Depósitos, é o facto de a ex-coligação governamental, de repente, estar preocupada com a saúde da Caixa. Já lá vai o tempo em que Maria Luís, sobre a CGD poder levar rombo com o Fundo de Resolução no Novo Banco, dizia: "A CGD pode sentir um impacto: é o preço de ter um banco público." Sem espinhas. E o Presidente, Cavaco Silva, garantia, a propósito do mesmo tema: "É errado dizer-se que pela via de redução dos lucros da CGD os contribuintes podem vir a suportar custos." Era a caixa da Joana, agora é a de Pandora.
Posto isto, a minha proposta para ajudar a recuperar financeiramente o nosso banco é vender o edifício-sede da Caixa Geral de Depósitos na Avenida João XXI. Deve dar uma boa ajuda em termos financeiros, não só no que se poupa como no que se ganha.
Vejamos. A nível de espaço, suponho que equivale a cinco Jerónimos. Dava um bom Continente, por exemplo. Juntamente com a Muralha da China, e o ordenado do Mexia na EDP, é a única coisa que se vê, a olho nu, da Lua. A CGD podia, por exemplo, vender a sede da João XXI à Câmara para fazer a nova Mesquita de Lisboa. Desta vez, sem chatices (nem expropriações), até porque o edifício, em termos arquitectónicos, já tem um formato que não exige grandes mudanças. É pôr um crescente na abóbada principal e siga. Depois não digam que o Quadros não contribui. Claro que o maior problema desta solução é a dificuldade que um muçulmano sente ao ter de dizer: "Vou ali à Mesquita João XXI."

Bom dia, Feliz Domingo e lindas férias, amigos de Lusibero!


De James Joyce...



De James Joyce, em "Ulisses":

"...eu gosto de flores encantar-me-ia ter a casa a nadar em rosas Deus do céu não há nada como a natureza as montanhas selvagens e depois o mar e as ondas a enrolarem-se e depois o campo tão bonito com os prados de aveia e trigo e toda a espécie de coisas e todo o bom gado que até faz desvanecer a alma só de vê-los rios e lagos e flores de todas as espécies e formas e cheiros e cores saindo dos regos de água primaveras e violetas..."...

Poema de E.E.Cummings



Poema de E.E. Cummings, in Net




O Primeiro de Todos os Meus Sonhos




o primeiro de todos os meus sonhos era sobre
um amante e o seu único amor,
caminhando devagar(pensamento no pensamento)
por alguma verde misteriosa terra


até o meu segundo sonho começar—
o céu é agreste de folhas;que dançam
e dançando arrebatam(e arrebatando rodopiam
sobre um rapaz e uma rapariga que se assustam)

mas essa mera fúria cedo se tornou
silêncio:em mais vasto sempre quem
dois pequeninos seres dormem(bonecas lado a lado)
imóveis sob a mágica

para sempre caindo neve.
E então este sonhador chorou:e então
ela rapidamente sonhou um sonho de primavera
—onde tu e eu estamos a florescer

E. E. Cummings, in "livrodepoemas"
Tradução de Cecília Rego Pinheiro

sábado, 30 de julho de 2016

Fado de Coimbra

FLORES de PORTUGAL, nos AÇORES

PORTUGAL

PORTUGAL


CNN
5 h ·


Father of Muslim soldier to Donald J. Trump, "Have you even read the United States Constitution? I'll gladly lend you my copy"



Father of slain Muslim U.S. soldier to Trump: 'You have sacrificed nothing and no one'

WWW.CNN.COM|POR EUGENE SCOTT


CNN
3 h ·


Is Rio ready?



www.cnn.com
In just one week, the eyes of the world will be on Rio de Janeiro as the Olympic Games arrive in South America for the first time.
EDITION.CNN.COM|DE TOM MCGOWAN, JOHN SINNOTT, EOGHAN MACGUIRE AND SHASTA DARLINGTON, CNN

The Great wall...


CNN
11 min ·


About 30% of one section of the wall is gone.



China cracks down on Great Wall brick thieves
WWW.CNN.COM|DE CLARA LINDH, FOR CNN

In www.publico.pt-----E ergue-se, aos poucos, uma terrível ditadura...?


Erdogan quer tomar as rédeas do aparelho militar turco


FÉLIX RIBEIRO

29/07/2016 - 19:38


Liderança militar foi profundamente reestruturada depois da tentativa de golpe de Estado. Presidente turco sugere que general americano escolheu o "lado dos conspiradores".
Erdogan fala aos militares em Ancara, diante um quartel danificado pelas operações do dia 15. GABINETE DE IMPRENSA DA PRESIDÊNCIA DA TURQUIA




3







TÓPICOS

Europa
Turquia
Recep Tayyip Erdogan
Defesa


Recep Tayyip Erdogan quer que as Forças Armadas e as agências de informação nacionais passem a ser controladas pelo Presidente e deixem de estar sob a tutela do primeiro-ministro, como acontece agora. A sua vontade foi transmitida na quinta-feira à liderança militar turca, profundamente reestruturada com as grandes purgas postas em marcha depois da tentativa falhada de golpe de Estado do dia 15 de Julho.

A reunião do Supremo Conselho Militar acontece normalmente em Agosto e costuma demorar três dias. Mas, por vontade do Presidente turco e do seu Partido da Justiça e Paz (AKP), o encontro antecipou-se um mês e durou apenas cinco horas. Antes da reunião de quinta-feira, o Governo destituiu 149 generais e almirantes. Depois do encontro, os aliados de Erdogan anunciaram a promoção de 99 coronéis para esses postos.

Fontes parlamentares adiantaram os planos do líder turco à Reuters e El País, dizendo que Binali Yildirim, primeiro-ministro, serviu como seu porta-voz ao longo do encontro de quinta-feira. Para conseguir controlar o Exército, porém, o Presidente precisa da aprovação de dois terços do Parlamento, o que exigiria uma aliança com a oposição de centro-esquerda, o CHP, que até agora se opôs aos planos presidencialistas de Erdogan. Resta saber se o golpe deste mês o pode alterar.

O aparelho militar foi um dos sectores mais atingidos pelas purgas na sociedade turca das últimas semanas. Sob o pretexto de limpar as Forças Armadas da influência do "Grupo Terrorista Gulenista" – o nome dado ao suposto Estado paralelo do oposicionista Fethullah Gülen, que o Governo acusa de ter comandado a tentativa de golpe –, mais de 10 mil militares foram detidos e quase 1700 foram demitidos. Perto de 40% dos generais e almirantes foram afastados dos seus cargos.

Vivem-se “tempos muito maus” na Turquia, em cima “de tempos já maus”

Os países da União Europeia e na NATO dizem-se preocupados com o volume de demissões e detenções ordenadas por Erdogan e pelos seus aliados no Governo. Mais de 18 mil pessoas foram detidas desde o dia 15, das quais quase 10 mil estão ainda presas e à espera de julgamento. Outras 50 mil pessoas foram afastadas dos seus cargos, sobretudo no sistema educativo, onde 42 mil funcionários perderam os empregos.

As Forças Armadas norte-americanas dizem que as purgas no aparelho militar turco atingiram vários interlocutores com quem contactaram ao longo dos anos e temem o impacto que isso possa ter na cooperação entre os dois maiores exércitos da NATO. "Tínhamos certamente relações com muitos líderes turcos, em particular líderes militares", disse o general Joseph Votel, chefe do comando central americano. "Tenho receio sobre qual será o impacto nessas relações à medida que progredimos", disse.

O que fica muitas vezes de fora dos discursos de responsáveis europeus e norte-americanos é o receio de que Erdogan aproveite o momento de força para alcançar o seu grande objectivo de concentrar quase todo o poder na figura do Presidente. Para ele, aliás, os receios ocidentais com as detenções são descabidos. “Mas o que é que preocupa estes senhores?”, lançou Erdogan esta sexta, diante de um quartel em Ancara, parcialmente destruído na noite da tentativa de golpe.

“Têm receio de que o número de detidos e prisões aumente? Se houver culpados, os números aumentarão”, adiantou Erdogan, lançando duras críticas à líderança militar americana, em especial aos comentários de Jospeh Votel, de quem sugeriu ter escolhido o lado dos golpistas: “Quem é você? Conheça o seu lugar! Está a tomar o lugar dos conspiradores em vez de agradecer ao país que repeliu uma tentativa de golpe. O putschista já está no vosso país.”

In www.publico.pt


0
0




Frente al-Nusra afasta-se da Al-Qaeda


PÚBLICO

29/07/2016 - 18:29


Washington diz que mantém classificação do grupo sírio como organização terrorista.
Declaração de Abu Mohammed al-Julani em que anuncia o fim da ligação da Al-Nusra à Al-Qaeda REUTERS




0







TÓPICOS

Médio Oriente
Síria
Al-Qaeda
A guerra na Síria


A Frente al-Nusra anunciou na quinta-feira o corte de relações com a Al-Qaeda. O objectivo, diz o líder do grupo, é tirar força à justificação dos EUA e da Rússia para bombardearem as suas posições na Síria.

O grupo — um dos mais fortes entre os que combatem o Exército sírio — passa a chamar-se Frente Fateh al-Sham (Frente para a Conquista da Síria/Levante) e até a bandeira negra, própria de grupos jihadistas como a Al-Qaeda ou o Estado Islâmico, passou a ser branca.

Numa declaração televisiva, o líder do grupo, Abu Mohammed al-Julani, disse que a Frente Fateh al-Sham “não terá ligações a nenhuma entidade estrangeira”. Ao cortar o vínculo à Al-Qaeda, o grupo pretende afastar o rótulo terrorista que lhe é colado pelos governos dos EUA, Rússia e Síria. Ao mesmo tempo, a Fateh al-Sham espera superar as resistências de parte dos grupos rebeldes que até agora não se queriam associar com o movimento jihadista global.

É com esta justificação que as posições do grupo têm sido bombardeadas, sobretudo por Moscovo e Damasco, mesmo durante o regime de cessar-fogo — que não abrange alvos considerados terroristas.

Os EUA anunciaram que mantêm a classificação de organização terrorista dada à Frente al-Nusra. “As filiações podem ser um factor, mas são as acções, ideologia e objectivos que mais interessam”, disse o porta-voz do Departamento de Estado, John Kirby.

O afastamento entre as duas organizações foi bem acolhido pela Al-Qaeda. “A irmandade do islão é mais forte do que qualquer ligação organizacional que muda e termina”, disse o líder da rede jihadista, Ayman al-Zawahiri, de acordo com a BBC.

Num artigo na Foreign Policy, Charles Lister escreve que as afinidades ideológicas entre os dois grupos “mantêm-se fortes”.

The Pope's silence in Auschwitz...


Público
7 h ·


“Senhor, tende piedade do teu povo. Senhor, perdoai-nos tanta crueldade”



O silêncio do Papa em Auschwitz [Fotogaleria]
O Papa Francisco orou de rosto voltado para o Muro da Morte, onde as SS executaram a tiro milhares de prisioneiros.
PUBLICO.PT

Em Portugal...


Público
53 min ·


“Entre o ensino básico e o ensino secundário há pais que mudam de filosofia e passam a preferir os colégios”, observa o presidente da Associação Nacional de Directores de Agrupamentos e Escolas Públicas.



Portugal perdeu mais de metade das escolas públicas em 15 anos
Ensino privado conseguiu aumentar número de estabelecimentos e também de alunos. Estatísticas revelam ainda envelhecimento da classe docente.
PUBLICO.PT

Bom dia, amigos de Lusibero!(foto Pinterest)


Poema de José Régio...



Poema de José Régio, in O Citador

Poema do Silêncio
Sim, foi por mim que gritei.
Declamei,
Atirei frases em volta.
Cego de angústia e de revolta.


Foi em meu nome que fiz,
A carvão, a sangue, a giz,
Sátiras e epigramas nas paredes
Que não vi serem necessárias e vós vedes.

Foi quando compreendi
Que nada me dariam do infinito que pedi,
- Que ergui mais alto o meu grito
E pedi mais infinito!

Eu, o meu eu rico de baixas e grandezas,
Eis a razão das épi trági-cómicas empresas
Que, sem rumo,
Levantei com sarcasmo, sonho, fumo...

O que buscava
Era, como qualquer, ter o que desejava.
Febres de Mais. ânsias de Altura e Abismo,
Tinham raízes banalíssimas de egoísmo.

Que só por me ser vedado
Sair deste meu ser formal e condenado,
Erigi contra os céus o meu imenso Engano
De tentar o ultra-humano, eu que sou tão humano!

Senhor meu Deus em que não creio!
Nu a teus pés, abro o meu seio
Procurei fugir de mim,
Mas sei que sou meu exclusivo fim.

Sofro, assim, pelo que sou,
Sofro por este chão que aos pés se me pegou,
Sofro por não poder fugir.
Sofro por ter prazer em me acusar e me exibir!

Senhor meu Deus em que não creio, porque és minha criação!
(Deus, para mim, sou eu chegado à perfeição...)
Senhor dá-me o poder de estar calado,
Quieto, maniatado, iluminado.

Se os gestos e as palavras que sonhei,
Nunca os usei nem usarei,
Se nada do que levo a efeito vale,
Que eu me não mova! que eu não fale!

Ah! também sei que, trabalhando só por mim,
Era por um de nós. E assim,
Neste meu vão assalto a nem sei que felicidade,
Lutava um homem pela humanidade.

Mas o meu sonho megalómano é maior
Do que a própria imensa dor
De compreender como é egoísta
A minha máxima conquista...

Senhor! que nunca mais meus versos ávidos e impuros
Me rasguem! e meus lábios cerrarão como dois muros,
E o meu Silêncio, como incenso, atingir-te-á,
E sobre mim de novo descerá...

Sim, descerá da tua mão compadecida,
Meu Deus em que não creio! e porá fim à minha vida.
E uma terra sem flor e uma pedra sem nome
Saciarão a minha fome.

José Régio, in 'As Encruzilhadas de Deus'

De Helen Keller...



De Helen Keller (1880-1968), in Kd frases

“É um erro sempre contemplar o bom e ignorar o ruim, porque fazendo isso os povos negligenciam os desastres. Há um otimismo perigoso do ignorante e do indiferente.”
― Helen Keller


Frases - http://kdfrases.com

sexta-feira, 29 de julho de 2016

Boa noite, amigos de Lusibero! Bom fim de semana e boas férias, se for esse o caso!(Foto google)


The horror and genocide continues in SUDAN


The Guardian
1 h ·


“I could choose the one who would rape me, or they all would."



'I begged them to kill me instead': women in South Sudan raped under nose of UN
Theresa was yards from a UN compound in Juba when soldiers raped her. She is among dozens of women who have suffered amid the chaos prevailing in South Sudan
THEGUARDIAN.COM|DE SIMONA FOLTYN

The Guardian
1 h ·


Hillary Clinton did not pepper her acceptance of the Democratic nomination for president with many statistics on crime and poverty, as her opponentDonald J. Trump did last week, in a speech heavily shaded by cherry-picked figures and falsehoods. But she still painted a broad picture of the United States to go with her policy ideas and made numerous claims about Trump, in particular...



Fact-checking Clinton's Democratic convention speech: what was true?
The Democratic candidate shared real stories about her family and childhood but veered into inaccuracy when talking about the economy and Donald Trump
THEGUARDIAN.COM|DE ALAN YUHAS

Bocceli's prayer

The POPE'S Prayer..


The Guardian
26 min ·


"Lord, forgive so much cruelty."



Pope's parting words at Auschwitz
After two days of rain and leaden skies, an ironic sun shone on Pope Francis’s visit to one of the darkest places on earth
THEGUARDIAN.COM|DE HARRIET SHERWOOD

Em https: br.noticias. yahoo.------------O fim do mundo?


29 de Julho: chega o fim do mundo


Yahoo Noticias International26 de julho de 2016






Uma série de vídeos postados no canal YouTube da End Time Prophecies, intituladosArmageddon News, dão a emocionante notícia: o mundo vai acabar na sexta-feira, dia 29 de julho, em razão de uma combinação especial de eventos.


Não é a primeira vez que alguém profetiza o fim da humanidade: apresentamos um pequeno histórico do que deveria ter acontecido (e não aconteceu: caso contrário, não estaríamos aqui para escrever) e o quanto ainda está para acontecer.

Yahoo, Igor Principe

Ver as imagens

29 de Julho de 2016

O que você vê na foto é um dos muitos corpos celestes que na sexta-feira, dia 29 irão atingir o nosso planeta, começando uma cadeia interminável de terremotos que fará com que a existência da humanidade fique apenas na memória. Você se pergunta, por que todos os meteoritos chegarão naquele dia? A resposta do End Time Prophecies é clara: haverá uma reversão do campo magnético nos polos, fenômeno não muito frequente na história da Terra e, portanto, considerado um prenúncio de desgraças irreparáveis.

Ver as imagens

O planeta assassino

Tudo isso provém do que foi escrito no The Independent no final de março de 2016, quando um artigo retomou as teorias de um astrofísico aposentado, Daniel Whitmire. De acordo com o cientista, um planeta não identificado teria desviado cometas e meteoritos contra a Terra. Quando se produzirá o impacto não é claro. Deve-se dizer que as teorias de Whitmire são de 1985: Trinta e um anos depois, não vimos nem sombra dessas colisões.

Ver as imagens

Aquecimento global

A única ameaça minimamente sensata entre todas, é a do aquecimento global. Desde 2002, os dados do WWF dizem que, se não houver uma redução dos gases de efeito estufa e não houver aumento da utilização de energia renovável, 2050 será o ano em que tudo se tornará irreversível, e a Terra estará condenada. Para sobreviver, deveremos colonizar outros planetas. Deixando de lados os exageros, o aquecimento global é uma questão muito séria, e deve ser tratado por mentes inteligentes para entender exatamente o que fazer. O clima não é o mesmo de antes, isso é um fato.

Ver as imagens

A lua vermelha

Por ocasião dos espetaculares eclipses lunares de 28 de setembro de 2015 não faltaram pessoas que viram nisso um mau presságio. O satélite, de fato, teria se aproximado perigosamente da Terra, a apenas 356 mil quilômetros de distância, criando desequilíbrios atmosféricos, tais como a própria destruição do nosso planeta. É uma pena que esta seja a distância entre a Terra e a Lua a cada 27 dias.

Em www.esquerda.net---Israel proibe a entrada a uma investigadora da Universidade de Coimbra...


Israel proíbe entrada no país a estudante de Coimbra



Moara Crivelente, doutoranda da Universidade de Coimbra, foi impedida de entrar em Israel quando tentava ir para a Palestina no âmbito de um trabalho de investigação. Investigadora ficou proibida de entrar no país durante dez anos. Israel alega “razões de segurança” para deportar quem é solidário com luta palestiniana pelo fim da ocupação.


29 de Julho, 2016 - 15:50h












Segundo a estudante luso-brasileira explicou à Agência Brasil, chegou a Tel Aviv, capital de Israel, à meia-noite de domingo, com destino a Ramallah, na Palestina, para realizar um estudo.


No aeroporto foi informada por agentes da segurança de que seria deportada, e que ficaria proibida de entrar no país durante dez anos. À investigadora foi dito que a decisão se devia ao facto de ter "participado de protestos contra a ocupação", o que, vincaram, "era muito, muito grave".


Moara Crivelente, que faz parte do Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz (Cebrapaz), organização civil contrária à ocupação da Palestina por Israel, explicou que já esteve em protestos para escrever sobre essas manifestações.


"Disseram que, se cooperasse, repensariam a decisão. A cooperação significava passar contatos de palestinianos, informações sobre cada lugar em que estive na Palestina e a senha do meu telemóvel, imagino que para tentar apanhar contatos de palestinianos", relatou, referindo ainda que foi submetida a revistas e interrogatórios.


Depois de várias horas de espera no centro de detenção da Autoridade de População, Imigração e Fronteiras do Ministério do Interior israelita, a investigadora, que viu os passaportes português e brasileiro carimbados com a proibição, foi deportada para Portugal. No local, Moara Crivelente conheceu uma australiana que estava a ser deportava sob a mesma alegação.


"Isso acontece sistematicamente com vários ativistas que demonstram solidariedade à Palestina", lamentou, sublinhando que agora terá de repensar o seu projeto de investigação e os impactos que isso tem na sua vida académica.


Num texto publicado no Cebrapaz, no Resistência e no Portal Vermelho, Moara denuncia como Israel tem deportado a solidariedade por “razões de segurança”, lembrando que “a política israelita de deportação de ativistas solidários à causa palestiniana pelo fim da ocupação não é novidade”, e que, “em 2003, por exemplo, oito membros do International Solidarity Movement (Movimento Internacional de Solidariedade), todos europeus e norte-americanos, foram deportados porque protestavam contra o confisco de terras palestinianas para a construção do muro israelita próximo a Jenin, na Cisjordânia ocupada, ou porque removiam obstáculos nas estradas próximas a Nablus, colocando em evidência a dificuldade para a movimentação dos palestinianos nas suas próprias terras”.


Num artigo datado de julho de 2011, o diário israelita Haaretz dava conta de “Israel teve sucesso em impedir até o momento a entrada de 200 passageiros que desejavam vir a Israel como parte da campanha Bem-Vindo à Palestina”.


E “esta é apenas uma parte da tática israelita de perseguir qualquer manifestação de solidariedade aos palestinianos”, lamenta a estudante, assinalando que “as campanhas acadêmicas e o movimento por Boicote, Desenvolvimento e Sanções têm sido os alvos mais visíveis”.


“Também são perseguidas organizações israelenses de defesa dos direitos humanos e uma rede de soldados que decidiu comentar as arbitrariedades que o Exército comete na Palestina ocupada – Breaking the Silence”, refere Moara, sublinhando ainda que “também há inúmeros casos de palestinos deportados por Israel desde o início da ocupação militar”.


Termos relacionados Notícias internacional

Ler artigo completo em www.jn.pt



Opinião
Em nome da fé







INÊS CARDOSO*

Hoje às 00:05









Em nome da fé
Facebook
Twitter
Partilhar











ÚLTIMAS DESTE AUTOR
Em nome da fé
O bom professor
Lágrimas de campeão
Engolir sapos
Prolongamento ou penáltis?










INÊS CARDOSO*

Hoje às 00:05








Estamos em guerra, declarou o Papa Francisco, comentando a vaga de ataques solitários, loucos, cada vez mais acelerados. Mas a frase, proferida após a morte de um padre, poderia ser ouvida com ressonâncias que o líder dos católicos quis excluir sem margem para dúvidas. Guerra, sim. Mas não de religiões. "Todas as religiões querem a paz. A guerra querem-na os outros, entendido?"


Em tempos sensíveis, os riscos de simplificação e generalização aumentam. Há quem queira acentuar a dicotomia entre cristão e muçulmano, criando um todo onde ele não existe. Não há nenhum fio de ligação direta entre religião e fundamentalismo. Tal como nem todos os fundamentalistas são terroristas. Da mesma forma que nem todos os ocidentais são arrogantes ou estão convencidos da universalidade da sua cultura. Cada vez que fazemos catalogações, começa o perigo.


Recusar qualquer simplificação ou generalização não impede, contudo, a clareza com que o líder da mesquita de Lyon, Kamel Kabtane, se referiu ao problema: "O que se passa faz-se em nome do islão e dos muçulmanos". E esse alerta, lançado por quem tem participado em iniciativas pelo diálogo inter-religioso, tem um particular sentido. Reconhece o que temos tanta dificuldade em discutir, por sabermos o risco de nesse debate tudo ser virado do avesso. Não é uma questão de fé, mas é em nome dela que se mata.


Perceber a diferença entre as duas coisas muda tudo. Nada no islamismo justifica atos de violência. Como nada no catolicismo poderia ter justificado as cruzadas e guerras santas, os autos de fé e tantos outros episódios gravíssimos de abusos que mancham a história da Igreja. Mas há motivações que nascem do facto de, demasiadas vezes, se forçar a religião a dizer o que nela não está escrito. E importa perceber por que razão o islão e o seu contexto geográfico e político acentuam o risco de radicalização.


As religiões são ingredientes poderosos presentes, historicamente, na construção da identidade dos povos. Para um fundamentalista, o alcorão é a fonte da qual irradia a forma de organização do Estado, da sociedade e da moral. Ignorar estas motivações em nada ajuda a perceber o fenómeno.


O que não quer dizer, insista-se para evitar equívocos, que a fé seja uma causa. É um descodificador que se relaciona com muitas causas. Estratégias políticas e de ocupação territorial associadas a fins religiosos. Conflitos étnicos. Fenómenos de xenofobia, intolerância e tentativas de ocidentalização. Tráfico de armas. Pobreza e exclusão social. Psicopatia e mimetismo de falsos heróis. A lista é extensa e só olhando para a raiz das coisas se estará a travar o combate.


*SUBDIRETORA


CONTINUAR A LER



Leia mais: Em nome da fé http://www.jn.pt/opiniao/ines-cardoso/interior/em-nome-da-fe-5311531.html#ixzz4FodVdXp4
Follow us: jornalnoticias on Facebook

BERLENGAS- PORTUGAL

Moi aussi, je suis heureuse...


Le Figaro
3 h ·


Brigitte Bardot a applaudi cette décision.
[Photo Flickr/Luis Marina]



La corrida définitivement radiée du patrimoine immatériel de la France
LEFIGARO.FR|DE LEFIGARO.FR AVEC AFP


Le Figaro
2 h ·


Êtes-vous d'accord avec ce décryptage du philosophe Shmuel Trigano, invité du Figaro Vox?



Terrorisme: on sacrifie les victimes pour ne pas avoir à livrer bataille contre les bourreaux
LEFIGARO.FR|DE SHMUEL TRIGANO

Le Figaro
1 h ·


Il y a notamment rencontré des survivants du camp de la mort.



VIDÉO - Silencieux, le pape François a visité le camp d'Auschwitz
DE LEFIGARO.FR

Poema do nosso José Luís Peixoto



De José Luís Peixoto, in Net

quando a ternura for a única regra da manhã
um dia, quando a ternura for a única regra da manhã,
acordarei entre os teus braços. a tua pele será talvez demasiado bela.
e a luz compreenderá a impossível compreensão do amor.
um dia, quando a chuva secar na memória, quando o inverno for
tão distante, quando o frio responder devagar com a voz arrastada
de um velho, estarei contigo e cantarão pássaros no parapeito da
nossa janela. sim, cantarão pássaros, haverá flores, mas nada disso
será culpa minha, porque eu acordarei nos teus braços e não direi
nem uma palavra, nem o princípio de uma palavra, para não estragar
a perfeição da felicidade.


José Luís Peixoto, in 'A Criança em Ruínas'

Boa tarde, amigos de Lusibero! (Foto Pinterest)



The Independent
2 h ·


Very surprising



14 surprising psychological reasons someone might fall in love with you
INDEPENDENT.CO.UK

Unhumain hate came out...


The Independent
1 h ·


Horrific



'An explosion of blatant hate' - true extent of post-referendum racism revealed
INDEPENDENT.CO.UK
Unhumain hate

quinta-feira, 28 de julho de 2016

Boa noite, amigos de Lusibero!(foto google)


Nota pessoal: a reflexão, ao fim do dia...


















Meus amigos:




quem pode dar-se ao luxo de chegar ao fim do dia e não se debruçar sobre o que a sua alma sentiu, antes de adormecer?




Penso que ninguém...a menos que se trate de gente -não-humana, sem sentimentos, sem emoções, sem alma.




O nosso dia, os nossos dias, melhor dizendo, são tão ricos(porque os vivemos!) que é impossível não vermos, como num relâmpago, o TUDO, o bom e o mau, que nos afloraram o rosto,enquanto o extremo calor nos foi dando fogo, sem dó nem piedade, impedindo, por vezes, que raciocinássemos.




Hoje, apesar de ter passado a tarde no Hospital da Universidade de Coimbra, onde irei ser operada a um problema dermatológico, muito brevemente, não me desliguei das realidades com que o meu país se confronta, nesta hora em que a Comunidade Europeia decidiu,não por unanimidade mas por maioria, não aplicar sanções a este pobre país que está cansado de tantos sacrifícios, de tantos impostos, de tanta falta de emprego...




Veio a lume a notícia de que o FMI fez "mea culpa", ao admitir que errou, nas contas que fez para Portugal. Se errou...




Só quem não vive em Portugal, só quem não viu a emigração crescer a um ritmo tão alucinante, que ultrapassou a dos anos sessenta, só quem nunca viu as lágrimas de quem chorou a partida de seus filhos e familiares, formados com Cursos universitários a deixarem o lugar vago à mesa...




Soube-se também, que o antigo primeiro-ministro sócrates continua a declarar-se inocente daquela rede emaranhada de dinheiros, da qual ainda se não sabe a extensão e pretende levar a tribunal o estado português por estar a demorar tanto a saber TUDO... Até se comparou a Hilary Clinton, dizendo que o estão a perseguir, sem dó,nem piedade!




Só para terminar: sócrates não é a senhora Clinton, que está à beira de se tornar a primeira mulher Presidente dos Estados Unidos da América!!É que os portugueses NUNCA lha dariam o cargo de Presidente da República de Portugal!







Até amanhã, meus amigos!




Mealhada, 28 de Julho de 2016




Maria Elisa Ribeiro



The New York Times
41 min ·


"Religions don't want war. The others want war," the pope said.



Pope Francis Says World Is at War, but It’s Not a Religious Conflict
As he began his first official visit to Poland, Pope Francis he challenged Central and Eastern Europe to soften their resistance to migrants seeking refuge.
NYTIMES.COM|DE JOANNA BERENDT

The New York Times
13 min ·


He didn't want his speech to be about him. But Barack Obama couldn't avoid the subject.



Obama, at Convention, Lays Out Stakes for a Divided Nation
The president revisited his own promise to guide the country into a new age of unity as a framework to rally Democrats around Hillary Clinton.
NYTIMES.COM|DE JULIE HIRSCHFELD DAVIS AND MICHAEL D. SHEAR

The New York Times
17 h ·


Breaking News: Donald J. Trump called on Russia to hack Hillary Clinton's email, essentially sanctioning a foreign power's cyberspying.



Donald Trump Calls on Russia to Find Hillary Clinton’s Missing Emails
“Russia, if you’re listening, I hope you’re able to find the 30,000 emails that are missing,” Mr. Trump said, essentially encouraging a foreign power’s cyberspying.
NYTIMES.COM|DE ASHLEY PARKER AND DAVID E. SANGER

Bom dia, amigos de Lusibero!(Foto pinterest)


EDITORIAL de "Público", in www.publico.pt


EDITORIAL
Portugal e o défice, um embate adiado


DIRECÇÃO EDITORIAL

28/07/2016 - 00:15


Não houve multas para Portugal nem para Espanha, mas o caso das sanções promete novos episódios.




0







TÓPICOS

Governo
Défice
António Costa
Comissão Europeia
Jeroen Dijsselbloem
Editorial
Presidente da República
Carlos Moedas


Portugal, ou pelo menos os seus políticos, viveu a não-existência de multas ou sanções por défice excessivo como uma vitória a celebrar com euforia. O Governo falou logo numa “vitória portuguesa”; a direita sublinhou o “bom senso” de decisão; a esquerda regozijou-se (excepção feita ao PCP, que achou mais prudente “não cantar vitória”); o Presidente da República falou numa “vitória para a Europa, uma vitória para Portugal e uma vitória da responsabilidade” e, acima de tudo, para os “portugueses que viveram, e vivem, sacrifícios”; e até o comissário Carlos Moedas achou por bem vir dizer à Lusa que foi “um dia muito bom para Portugal”, “um grande dia.” Ponto.

Porém, na véspera, o próprio António Costa admitia que a situação não estaria “muito simpática” e que Portugal dificilmente evitaria a multa. Só que evitou. Ou melhor, adiou. Das negociações de última hora já se deu conta, e nelas houve intervenções importantes que ajudaram a que o prato da balança pendesse para o lado que pendeu. Mas, é bom notar, tudo isto é provisório. Portugal, tal como Espanha, foram agora salvas de qualquer multa, mas terão contas a prestar num futuro próximo. Aqui, pelo menos no caso português, há dois discursos que não colam. Do lado da Comissão, continuam aspressões para que haja medidas de consolidação adicionais, de forma a cumprir as metas propostas ou, pelo menos, a não se afastar muito delas; do lado do Governo, diz-se que basta cumprir o que está no Orçamento. Dificuldade de tradução? Não. Apenas mais um braço-de-ferro que não se sabe como acabará. Em Setembro, como sabemos, haverá nova avaliação e a hipótese de suspensão dos fundos continua viva no horizonte. Neste roundperdeu sobretudo Jeroen Dijsselbloem, que se mostrou ““desapontado” com a decisão da Comissão (e isso, para os que o detestam, será mais uma vitória a celebrar), mas o próximo não será tão fácil. O Governo tem nas mãos as rédeas do processo. Que não o deixe descarrilar.

OBAMA "DESPEDE" TRUMP!( in WWW. publico.pt)


A noite em que Obama despediu Trump com um grito de optimismo


ALEXANDRE MARTINS (em Filadélfia)

28/07/2016 - 07:50


Partido Democrata tira a noite para desfazer o candidato do Partido Republicano, que ficou numa lista entre “fascistas, comunistas, jihadistas ou demagogos internos”.



Play Video




1







MULTIMÉDIA



Vídeo

Hillary Clinton: nomeação histórica não apaga divisões


TÓPICOS

América
Barack Obama
EUA
América do Norte
Eleições EUA 2016


Uma semana depois de o Partido Republicano ter comparado os Estados Unidos a uma cidade decadente onde a anarquia se espalha a cada esquina, o Presidente dos Estados Unidos subiu ao palco na noite de quarta-feira, na convenção do Partido Democrata, para tentar convencer os eleitores de que “a América já é grande e forte”, e que pode precisar de muitas coisas, mas não de um “demagogo interno”.

Num dos discursos mais marcantes da sua vida política, Barack Obama usou todos os trunfos para convencer os independentes e os apoiantes mais fervorosos de Bernie Sanders a pensarem bem na escolha que têm pela frente: Hillary Clinton, uma candidata “que sabe que o país é grande, diversificado, e em que a maioria dos problemas raramente são a preto e branco”, e um candidato que venceu na vida “deixando atrás de si um rasto de processos em tribunal, funcionários sem vencimentos e pessoas que se sentem enganadas”.

Ninguém se lembra de um discurso numa convenção em que o Presidente em exercício desfez um dos candidatos adversários desta forma. Foi a noite em que o Partido Democrata deitou tudo cá para fora; em alguns momentos, chegou a usar o mesmo escorrega de Donald Trump e foi por aí abaixo, quando o candidato a vice-presidente, Tim Kaine, arriscou uma imitação de Trump: “A maioria das pessoas que concorrem à Presidência não se limitam a pedir que acreditem nelas”, disse Tim Kaine, enquanto encenava uma sofrível imitação de alguns dos gestos característicos de Trump.



Mas a estrela da noite foi Barack Obama, num longo discurso que teve um pouco de tudo – de despedida, porque está a menos de seis meses de sair da Casa Branca; de apoio incondicional a Hillary Clinton; de balanço da sua presidência; e de ataques a Donald Trump.

“Muito se passou nestes últimos anos. E se bem que esta nação foi posta à prova por guerras e recessões e todos os tipos de desafios, venho aqui perante vós, após quase dois mandatos como vosso Presidente, dizer-vos que estou ainda mais optimista em relação ao futuro da América”, disse Obama, antes de se lançar numa lição de História dos últimos oito anos – uma espécie de regresso à Idade Média no tempo medido pelas redes sociais. Falou da “pior recessão dos últimos 80 anos”, que estalou pouco depois de ter chegado à Casa Branca, da descida das taxas oficiais de desemprego, do acordo nuclear com o Irão, da aproximação a Cuba, do acordo internacional sobre as alterações climáticas e da morte de Osama bin Laden.

Mas reconheceu que ainda há muito por fazer, e que é por isso mesmo que Hillary Clinton deve ser a próxima Presidente dos Estados Unidos – um argumento a favor da continuidade, como se se tratasse de um terceiro mandato de Obama, e que é um dos maiores pesadelos do Partido Republicano de Donald Trump.

Criticando o tom da convenção do Partido Republicano, onde só ouviu “ressentimento, acusações, fúria e ódio”, o Presidente dos Estados Unidos disse que só conhece um país “cheio de coragem, optimismo e talento”.

“A América que eu conheço é decente e generosa”, disse Obama, apesar das “bolsas que nunca recuperaram do encerramento de fábricas, dos homens que se orgulhavam do seu trabalho árduo e de sustentar as suas famílias e que agora se sentem deixados para trás, e dos pais que temem que os seus filhos não tenham as mesmas oportunidades que eles tiveram”.

E Hillary Clinton é a única pessoa com capacidade para continuar o seu trabalho, principalmente agora que “tem planos concretos para ir ao encontro das preocupações que ouviu da vossa parte durante a campanha” – uma referência indirecta aos apoiantes de Bernie Sanders, alguns dos quais continuam a olhar para a candidata do Partido Democrata como uma dasresponsáveis do sistema político que querem derrubar.

Mas a alternativa é Donald Trump, e para Barack Obama não há muito que saber: “Ele sugere que a América é fraca. Não deve ouvir os milhões de homens, mulheres e crianças, dos países bálticos à Birmânia, que continuam a olhar para a América como a luz da liberdade, da dignidade e dos direitos humanos.”

Poema meu(REGº)
























Poema:

PELE…

Na tua pele
_____a transpirar amor
________deixei gotas de água
___________a suspirar rios ao relento,
_______________poros a murmurar,
___________________e cortinas fechadas
_______________________na Hora-do-nosso-Momento.

Sei bem
quando irás voltar do escuro crepuscular,
sempre que minha pele reage
a um vento sibilante, e acorda o corpo que me habita.

Os anjos costumavam esconder as estrelas…
Era da sua luz que se alimentava a nossa vida,
tal flor tresloucada à procura de um-orvalho-sustento.

Recordo o perfil afadigado das minhas pálpebras
a procurarem ler teu corpo suado…água sagrada…

Na boca,
_________________ ficaram escondidos os beijos trocados,
__________________que eriçavam os poros
__________________ dos nossos sentidos…

Corri as cortinas.
E os livros em que te escrevo começam, devagar,
a divagar a peregrinação das nossas mãos
de quando a lua tremeu de rubor.
Arrumei os lençóis de linho com o teu sabor,
nos poemas que escrevo, à luz de um candeeiro íntimo
que ouviu suspiros de amor.

De linho e cambraia, de seda e jasmim
é o cheiro de ti-que- deixaste-em-mim…

O sol queima o dia das aves, que chilreiam…
_________As searas amadurecem nos cantos de Florbela…
____________Eu chamo-te, muda, daquela janela que deu para
_______________o Outono da Primavera- em- que- fomos Verão.

Oh, Deus…há tantos anos dentro das Horas dos dias de Solidão…

Maria Elisa Ribeiro
AGOSTO/014

quarta-feira, 27 de julho de 2016

NOTA PESSOAL...












NOTA PESSOAL: A COMISSÃO EUROPEIA (CE) NÃO IMPÔS SANÇÕES A PORTUGAL.





Este é um dia feliz para o nosso País.

Mas as coisas não são tão simples, como aparentam.

Esta atitude da CE pode ser um modo de exercer uma pressão contínua sobre este País, cansado de sacrifícios, de impostos sobre impostos, de tremendas injustiças sociais que o desgoverno de passos-portas-cavaco não se cansou de impor, desde 2011, até ao dia em que, apesar de ter ganho as eleições, em 5 de Outubro de 2015, as ganhou sem uma maioria parlamentar; isso foi a salvação de Portugal que viu unirem-se as esquerdas em torno do PS (Partido Socialista), com o beneplácito do PC( Partido Comunista) e do BE (Bloco de Esquerda).

O Governo vai andando; passaram sete meses e foram feitas alterações a leis demagógicas do anterior desgoverno. Muita coisa ainda falta fazer, para que os portugueses sorriam… mas uma casa não se constrói de um dia para o outro.

O partido de passos coelho, cinicamente, diz que esta coisa de não haver sanções, coloca todas as responsabilidades nas “mãos” do Governo de Esquerda! De recordar que o tal défice excessivo reporta às contas do psd , até Dezembro de 2015!

Muitos comissários europeus estiveram da parte de Portugal, não tendo visto motivos para sanções a um povo cujas contas vão correndo melhor. A verdade é que as pressões dessa “junta” que já não se justifica na Europa e que dá pelo nome de Comissão Europeia, vão continuar a prometer cair “sobre a nossa cabeça”, mal nos descuidemos.

Agora, os tais comissários optarão por nos fazer recomendações cada vez mais exigentes para as metas orçamentais, o que provocará um recuo no consumo, que é, como sabemos, o principal motor do desenvolvimento das sociedades.

Ainda não podemos sorrir, portugueses!

Ainda não nos foi dado o dinheiro que a despudorada Direita nos roubou, nas reformas, nos serviços, em tudo o que fazia parte da vida que preparámos, ao longo de quase quarenta anos de pagamento de impostos.

Do novo Governo, eu recebi mais 18 Euros! Espero pelo resto, confiante de que- talvez! um dia mo dêem…Entretanto, vou vivendo sempre a pensar em sanções…





Maria Elisa Ribeiro



27 de Julho de 2016

Blog Lusibero no Facebook!



















BLOG lusibero está no Facebook







https://www.facebook.com/mariaelisa.ribeiro.75