domingo, 26 de dezembro de 2010

Poema: Meu ser...jasmim...

Foto google


MEU SER…mulher-jasmim…



Céu… azul como meu Sonho!
Lindo, resplandecente, imenso
no meu corar…intenso!

Sonho meu Amor perdido
nas curvas da Terra…
…dando sabor ao céu, rendido…

Lábios nos lábios
ENTREGA TOTAL!
Perda de Sentidos
“…todos num confundidos”*

(circuito fechado: só tu e eu!)

Sussurros aos meus ouvidos…
Toques de mãos, desvanecidos…
Pele imensa, intensa, macia, recebe,
sem falsos pudores,
a Melodia de uma noite sem nuvens
nem açulas de predadores…

QUE de segredos!
Segredos do Amor…

Chove lá fora? Há luar de morrer?
Esta é a hora do meu”QUERO LÁ SABER!”

Sou aranha a tecer a TEIA…
Vida a agarrar vida
esvaída no suor
que sai de MIM
cheirando a JASMIM…

*- Palavras de um verso de GARRETT, no poema “Os cinco sentidos”.

C8H-111/46- (vds) -JNH/010

sábado, 25 de dezembro de 2010

FELIZ NATAL!

FOTO GOOGLE



A TODOS OS AMIGOS E SEGUIDORES:
É DIA DE NATAL...NATAL, RENASCIMENTO E RENOVAÇÃO...É ISSO QUE VOS DESEJO COM MUITO AMOR E O CORAÇÃO CHEIO DE PAZ, VINDA DA MANJEDOIRA DE BELÉM!
FÉ NA VIDA, JUSTIÇA NAS CAUSAS , DIGNIDADE NOS MOMENTOS MAIS DUROS...
QUE O BAFO QUENTE DE UMA NOVA ESPERANÇA NOS ILUMINE E DÊ CALOR!
Mª ELISA

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Natal em PORTUGAL...

FOTO GOOGLE



Estamo-nos aproximando, a passos largos, de um novo período natalício.
Exige a minha intimidade natural que o relembre.

Luzes feéricas iluminam ruas, terras e árvores...Néons publicitários expandem o seu brilhante "piscar", numa última tentativa de captar a atenção consumista, enquanto os caminhantes se apressam para, ansiosos, chegarem ao lar. A época é de (aparente)alegria!

Mas ...há tanta gente a sofrer!Esperanças desaparecem nas luzes voláteis! Angústias avolumam-se neste mundo consumista que não pára de globalizar.
Nem sequer ponho qualquer questão quanto ao nascimento de CRISTO, a 25 de DEZEMBRO, de cada ano...Convencionou-se, por meio de estudos tornados congruentes, que assim deveria ser.por esse motivo, todos procuramos vivê-lo...Uns, com a inconsciência egoísta dos presentes...Outros, com a consciência desperta para os problemas da HUMANIDADE soferente.
Natal de angústias no meu pais , arrasado por uma crise que se julgava impossível, há dezenas de anos...A fome cresce a par do desemprego e arrasta consigo a miséria, "produto" congénito neste país...a incerteza quanto ao FUTURO rouba a alegria dos nossos rostos...agrava-se a falta de confiança nos políticos e seus apaniguados, ao mesmo tempo que as fraudes escandalosas e a corrupção campeiam...

Que ponho aos pés do meu presépio?
Confesso que, de pequenina, quase desconhecia o Natal, que comecei a viver de outro modo, quando fui MÃE! Passei a vivê-lo nos olhos arregalados dos meus pequenos ,perante a profusão de pacotes coloridos, apelativos.

Numa gruta de Belém da GALILEIA, há milhares de anos, numa manjedoura quente, com palhas aquecidas pelo bafo dos animais, nasceu aquele a quem chamam "O MENINO SALVADOR"...Nasceu do ventre de MARIA, a VIRGEM-MÃE...
Hoje ,faltam manjedouras pelo MUNDO e animais para aquecer as dores de parto das mulheres do IRAQUE, do AFEGANISTÃO, da CHINA...

E ,em buracos de montanhas, quais cabras monteses, milhares de mulheres sentem a dor de parir no desconforto da falta de ajuda e de cuidados...É outro Natal...sem paz nem sorrisos de alegria... que se não ouvem por via dos voos rasantes dos mísseis e dos disparos das armas de guerra...
Na China, não há NATAL para muitas meninas ,atiradas para as valetas ou deitadas nos contentores do lixo...

Por detrás dos muros dos Hospitais, há natais de dor, de doença e morte...O mesmo se passa com os presídios ,onde seres que erraram pagam as suas dívidas para com as sociedades, que ofenderam...Pelas ruas das nossas cidades, pobres seres dormem ao relento, aquecidos pelas luzes das ruas, quase sem comer...Alguns têm a sorte de receberem a "SOPA DOS POBRES", que, geralmente acaba, depois do NATAL...
Como posso estar em paz, a comer as minhas batatas com bacalhau, ao som de sobremesas regadas com músicas tradicionais?

Perdoem-me por vos trazer este tema...por vos lembrar aquilo que fere a minha sensibilidade de MÃE e AVÓ...

Um feliz período de BOAS-FESTAS para todos vós, leitores e amigos seguidores de LUSIBERO!
UM BEIJO NATALÍCIO
Mª ELISA

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

FOTO GOOGLE


“AVÉ-MARIA”!


Era tão sentido o anoitecer da minha infância,
na terra que me viu nascer!
Era tão lindo ver os camponeses, ruidosos,
prepararem o ansiado anoitecer!

Pelas vielas, ao som das “Avé –Marias”,
ia-se recolhendo, lentamente,
o gado que pastava, nas serranias.
E, enxadas às costas, por entre vinhedos e casarios,
regressava-se ao repouso do suor dos lavradios.

E eu, na inocência das minhas brincadeiras,
corria para casa, qual ave fugidia,
cansada de devastar as sementeiras
sorrindo daqueles que, contra elas corriam.

Infância! Paz de inocência dos espíritos,
ainda não sufocados pela amargura dos dias!

Volta, Infância!
Volta a este meu coração, que te recorda
agora, que as experiências se tornam mais arredias!


CAD “ B – 100 SET/07

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Poema: ORATÓRIO...

Foto minha da encosta,na SERRAdaESTRELA



ORATÓRIO…



Do alto do promontório,
batido por vento cortante,
vejo o mar em sobressalto;
e, num instante,
o vento sibilante,
premonitório,
avisa o meu eu sofrido,
de que as aragens distantes
saíram já do mar alto
e vogam, como eu, errantes…

Antevejo a tempestade, que há-de afectar-me…
Anseio pel’o momento em que devo abrigar-me!

Mas o meu porto seguro não está perto.
Estou perdida e só neste meu deserto.
Que deus posso invocar
para me poder salvar?

Então, desço, lesta, o promontório
que me serviu de oratório.
Já não me oferece abrigo.
Pelo contrário, sinto-me em perigo
se dele não me afastar.
A descida é penosa;
Abrigo-me dos elementos em fúria,
encostada às arestas das rochas…
e aí me apoio…
Escorre-me sangue das mãos, tal o esforço que faço
para me aguentar, frente aos ventos fortes do mar…
“Sangue é vida!”-segreda uma voz mágica-
Não temas nenhuma ferida…porque, nesta tua vida,
muitas vezes irás sangrar…e chorar…e praguejar!
Esse sangue correrá ao sabor das dores da vida…
…que te é querida, aliás!



AGOSTO/07-Cad.1A-54

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

ARTIGO LITERÁRIO-"OUTRA POESIA----LUÍS SERGUILHA


Tive a honra de conhecer, há meses, um poeta, ensaísta, novelista e crítico literário, que provocou no meu ser "rizomático" ( como ele diria!), uma tremenda convulsão de sentimentos e emoções, no confronto com a POESIA!



Tive a honra de conhecer, há meses, um poeta, ensaísta, novelista e crítico literário, que provocou no meu ser "rizomático" ( como ele diria!), uma tremenda convulsão de sentimentos e emoções, no confronto com a POESIA!



LUÍS SERGUILHA (LS) -----------------


Nascido, em 1966, na -então!- VILA NOVA DE FAMALICÃO, LS desde muito jovem se dedicou a aprofundar as suas relações com a MENSAGEM ,com as PALAVRAS-MAGMA, com a POESIA...



De acordo com a informação constante na sua página no Facebook, "Seu livro de prosa intitula-se Entre nós, de 2000, ano em que recebeu o Prémio de Literatura Poeta Júlio Brandão. Participou em vários encontros internacionais de literatura e possui textos publicados em diversas revistas de literatura no Brasil, Espanha e em Portugal, além de outros trabalhos traduzidos em língua espanhola, inglesa,francesa,italiana,alemã e catalão. Responsável por uma colecção de poesia contemporânea Brasileira na Editora Cosmorama. Curador do encontro internacional de literatura e arte: PORTUGUESIA".

Leitora, que sempre fui, das obras dos poetas portugueses AL BERTO e FIAMA HASSE PAIS BRANDÃO (FHPB), já falecidos, como se sabe, deliciei-me com poemas como "O PEQUENO DEMIURGO"(AL BERTO), onde tomei contacto com expressões e vocábulos de riquíssima nobreza literária, que me enalteceram como falante da ditosa LÍNGUA PORTUGUESA: "escrevo barco e uma quilha fende o vastíssimo mar(...) plumagens de ferro (...)eis o tempo/ do capricórnio reduzido ao esconderijo tatuado..."-DA obra "O MEDO".

De FIAMA HASSE (FHPB), recordo expressões dewsta nova poesia, do poema SÓTÃO(1992),in CENAS VIVAS, ed.RELÓGIO D'ÁGUA:

"Por interstícios daas malas abertas(...)

(...) Criaturas fictícias escalpelizadas e

sem tintas, de ventre oco (...)o bojo do peito de celulóide

pede-nos perdão..."



Estas citações servem-me, unica e simplesmente para me referir, citando-a, a obra serguilhiana, que conheço, ainda limitadamente, mas que está "causando estragos" na minha modesta actividade de poeta, não publicada...



Tenho em minha posse várias obras que me fascinam, de LS, das quais destaco, sem que isso signifique ordem de preferência, as seguintes: " EMBARCAÇÕES", " A SINGRADURA DO CAPINADOR", "LOROSA'E- BOCA DE SÂNDALO", "HANGARES DO VENDAVAL"e "ROBERTO PIVA E FRANCISCO DOS SANTOS".



"Morri " , coberta de magma a escorrer pelas colinas dos vulcões e senti-me, como ele afirma, "UM SER RIZOMÁTICO", no mundo das PALAVRAS-MATÉRIA-VIVA -DO-MEU SER....LINDO!

MAJESTOSAS IMAGENS, METÁFORAS E COMPARAÇÕES! USO DA PALAVRA-MENSAGEM de MODO não usual, GALGANDO VENTOS ALADOS PELO COSMOS...POESIA EM EVOLUÇÂO...EM digressão por um mar de MEDO-CORAGEM, de ALITERAÇÕES DO EU-EM-SI...



"(...) A sujectividade dos objectos-poemas-ressonância mágica...a fisiologia textual-transmusical, as ressonâncias mágicas, a emergência sígnica-pluricelular-biomagnética..., de JÚLIO CASTAÑON GUIMARÃES."

in ROBERTO PIVA E FRANCISCO DOS SANTOS, LUMME EDITOR, SÃO PAULO, 2008.



"MORRI" ...mas "RESSUSCITEI" para a nova estética literária,logo na obra "HANGARES DO VENDAVAL"...

E as novas estéticas serguilhianas, pois disso se trata, continuam a perseguir-me:

( ARAMES DOS CLARÕES...), "OS CAVALGADORES dos néctares das mamas campineiras..." ,..."Pavões rodoviários...", "TRANSUMÂNCIA DOS MERCÚRIOS ACÚSTICOSN A ARQUITECTURA DOS VENDAVAIS"...

Palavras de febre, de fome e de sede...palavras que montam castelos de MENSAGENS que os ventos cavalgadores levam ao COSMOS faminto de nova POESIA...SEXO no orgasmo da PALAVRA AO DAR À LUZ OUTRAS PALAVRAS, trituradas nos sentidos do POETA...



Fico-me, hoje, por aqui, pois sinto febre mental de outras leituras, que em mim derramem outas mensagens, numa só: PAZ!



MARIA ELISA RIBEIRO- UMA VISÃO DA OBRA DE LUÍS SERGUILHAS

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

POEMA: VULTO...

FOTO GOOGLE


VULTO…


Descalça, sapatos na mão,
caminho pela praia…
Solidão das conchas, dos búzios…
…filhos do mar…
a sonhar com areias dos orientes quentes!

Cordas grossas viajam nos barquitos frágeis
dos homens da pesca…
Moirejam, duros,
na pesquisa do “pão-peixe”
do Futuro, sempre Presente…

E eu, vulto oculto de MIM,
nas areias cristalinas vejo,
recordações de menina…

Desço a escadaria da memória…
(como é longa minha história!…)

Encontro alegria de viver
na inocência do sofrer…

Vejo dureza do amar…
Os meus ventos a ralhar…
Arbustos a rebentar
depois do escurecer,
das florestas a arder…

Saio do percurso agreste de MIM…
Aqui e agora, sou PSYCHÉ
no cimo do rochedo tenebroso
do amor…
enganado…sofrido…vivido…


NÃO CONSIGO CHEGAR LÁ…

Frio…frio Inverno…
Vida de Inferno…
Dúvidas, medos, incertezas…

Mergulho, altiva, nas águas espumosas…
Cheira-me a rosas-vermelhas- maresia…
Rejuvenesço de CONCEITOS!
Lavo-me no sal, que conserva,
ouvindo rochas murmurar
contra o barulho do MAR…

Solto as TRANÇAS de criança…
Retorno muito mais MULHER!



C8H-110/ 48 (mqc)- OTB /010

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

WIKILEAKS: a "saga" continua...

Nós, portugueses, há muito que sabíamos que os políticos e ricaços que temos, eram /são capazes de muitas porcarias...
Com as denúncias da WIKILEAKS, temos a certeza de que eles são tudo e mais algumas coisas !...Que sócrates mentia em tudo o que diz, sabíamos...Mas que brincasse "às escondidas" com a credulidade e a honra do país sobre o problema dos Direitos Humanos, no que se refere aos presos de GUANTANAMO, e que Luís AMADO esteve ,desde sempre, como conhecedor das arbitrariedades do governo americano,negando-o ,contudo...isso já nos choca!

Ficámos a saber que tipo de parceiro é este Estado Americano, os ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA, que se julgam os deuses do mundo e ,afinal, não passam de uma corja da pior espécie, no confronto com as outras nações, de quem se dizem amigos!

Nunca me teria chocado tanto ,o nosso sócrates ter admitido que sim, que tinha autorizado que os aviões americanos pisassem o solo português....Choca-me , isso sim, que tenha ,por três vezes, garantido ao PARLAMENTO!- que o estado português nada tinha a ver com esse assunto e nunca tinha dado ordens nenhumas para tal facto!
MENTIROSO COMPULSIVO, PIRRÓNICO E MITÓMANO!

Acima de tudo, choca-me a falta de ética destes governantes!

Neste momento em que teixeira dos santos está a vender PORTUGAL aos chineses, em termos de divída pública,sinto vergonha de ter a mão estendida à caridade alheia, quando ilustres antepassados meus deixaram os ossos nas profundezas do mar, para que fôssemos outro tipo de gente !
Dependentes de todo o mundo ,por problemas económicos, o que somos nós ,portugueses, hoje?
Delatores de clientes bancários em troca de "ajudas"?Limpa -botas dos ESTADOS UNIDOS..., subservientes pobrezitos dos NADAS do mundo, que já dominámos?
A verdade, amigos,é bem outra, neste contexto de casos denunciados: os portugueses têm tanto em que pensar, tanta miséria a enfrentar, tanta fome a matar, tantas escolas sem condições e Ensino, tantas populações carenciadas de bens básicos como a SAÚDE, que estas coisas vão passar, num instante, para o caminho do esquecimento!

Esperamos ainda pela resolução de casos bicudos dos tempos deste governo socialista, envolvendo políticos ,banqueiros e gestores... esperamos ainda saber as verdades das " licenciaturas" de políticos com altos ordenados e responsabilidades...Nada do que antes nos recordamos de ter vivido neste país, se assemelha ao que hoje estamos a viver...
Toca-nos resolver as vaidades e manias de quem nos desgoverna...Temos ,portugueses , que readquirir a nossa dignidade de POVO!
Entretanto, enquanto calamos e comemos, são os nossos dinheiros que lhes pagam a corrupção em que "nadam"....

domingo, 12 de dezembro de 2010




SELO DOS 20000 VISITANTES AO PERFIL DE "LUSIBERO"

Foi uma ternura da nossa "SONHADORA", A QUERIDA ROSA SOLIDÃO, este lindo selo que embeleza, a partir de hoje, o meu blog.
Tendo eu dito que não percebo nada de fazer "selinhos", imediatamente, esta amiga do coração, me presenteou com um ,da sua autoria, fresquinho, cintilante de odores das rosas mais bonitas que encontrou!

OBRIGADA, "SONHADORA" amiga!Não tenho palavras mais bonitas(nem quero!) para te expressar toda a minha gratidão!

(LUSIBERO)
Maria Elisa Rodrigues Ribeiro

sábado, 11 de dezembro de 2010

LUSIBERO: AGORA MESMO...20000 visitantes no PERFIL!

foto google



AMIGOS , comentadores e visitantes do meu querido BLOG: acabo de o ver atingir as 20000 visitas ao perfil.
Não sei fazer os "SELINHOS"...mas tenho que agradecer a todos os amigos que tornaram possível esta realidade...Não pensei aguentar-me, sozinha, a administrar o blog por tanto tempo...
Pelo caminho, desde que o abri ,em JANEIRO de 2009, houve percalços, doenças , impedimentos vários, por vezes ao longo de dias, o que me deixava desmoralizada e ansiosa por não poder cumprir com as visitas aos amigos!
Hoje, lembro as palavras de tantos que não quero citar para não melindrar ninguém, e abraço-vos ,afectuosamente ,a todos, no maior e mais sentido abraço do mundo!
OBRIGADA!
LUSIBERO

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

POEMA: CONFISSÃO...

foto google



Todos os dias faço amor com a VIDA!

Lânguida e despudorada,

estendo-me nos seus braços,

recordo tempos perdidos

e gozo-a nesta VIDA-SEM-ESPAÇOS...



Tomo banho no luar a brilhar...

Limpo-me nas brumas do orvallho matinal...

penteio-me no espelho do nevoeiro

ao alvorecer...

visto-me no meio das árvores iluminadas!

Gemo de prazer de viver

nos sons gritantes de aves caladas...

Voo na imaginação das montanhas

descobertas como eu...

...frágeis como eu...

...floridas como eu...

...no céu que sou eu...



Passam as águas do mar,num perene soluçar!

Libertam cheiros miríficos

do feitiço das maresias, esguias

nas ondas alterosas

...ora calmas...ora ansiosas...



E as gaivotas, almas invejosas

do mar a viver-marulhar, descansam no areal!

Procuram vida no pão peixe-mar...

Movem, por vezes ,o olhar para o meu íntimo

confuso no acto de amor com a VIDA

e perdem-se de luxúria, da rota traçada...

Pressentem o momento do meu chorar verdades- mentiras...

Refugiam-se até chegar Apolo

que me leva ao colo das esperanças,

feitas desconfianças...



Fico ALI...venho de LÁ...

Vou para a confiança da verdade de existir

neste porvir,

segundo a segundo,

bocado a bocado,

momento doce a doce momento...



Tormento da consciência

ao dar-me à existência ...

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

foto google


HOJE: ANTERO DE QUENTAL

“ANTERO DE QUENTAL (A.Q) foi uma das almas mais atormentadas pela sede de INFINITO, pela fome de eternidade. Há sonetos seus que viverão enquanto viver a memória dos homens, porque serão traduzidos, mais tarde ou mais cedo, em todas as línguas dos homens atormentados pelo olhar da ESFINGE”-MIGUEL DE UNAMUNO.

Ao começar a estudar, ou mesmo só a ler, a poesia deste homem ímpar, na nossa história literária, vemos que a mesma é marcada por duas fundamentais características do seu carácter que, ao reflectirem-se na sua obra, nos mostram, pelo menos, dois lados distintos do poeta, ou, se quisermos, dois “Anteros”: um, o Antero APOLÍNEO, que exalta A LUZ, A RAZÃO e o AMOR; o outro, é um ANTERO NOCTURNO, marcado pelo Pessimismo, pelas Dúvidas existenciais, pelos cantos à NOITE, à MORTE, ao descanso FINAL.
O seu nome vem, muitas vezes, ligado ao aparecimento e implantação do REALISMO, em PORTUGAL. Na realidade, A.Q. foi um dos membros da difusão das ideias revolucionárias que a estética literária realista trazia consigo, tendo feito parte do grupo de estudantes de Coimbra, ao qual pertenciam EÇA DE QUEIRÓS, OLIVEIRA MARTINS E BATALHA REIS, conhecido como “A GERAÇAO DE 70”(1870), que tomou parte na célebre “QUESTÃO COIMBRÔ e nas “CONFERÊNCIAS DO CASINO”. Cada vulto da Literatura Portuguesa é ímpar nas suas características e AQ não foge à regra. Ele pensou PORTUGAL e o HOMEM, nos seus ensaios revolucionários e na sua POESIA, também ela, revolucionária!
Viveu tempos conturbados do Pensamento, integrado na vida buliçosa do meio coimbrão, dos anos de 1870. Nessa altura, a Universidade fervilhava de novas ideias e novos ideais, como consequência da Revolução Francesa, que espalhava por toda a EUROPA uma nova forma de vida, baseada nos princípios de LIBERDADE, IGUALDADE e FRATERNIDADE. Os jovens da Universidade de Coimbra, ajudados pela rapidez com que os comboios traziam até nós as obras que falavam das novas ideias, elegeram AQ como seu mentor.
Conhecido pela sua honestidade, pelos seus princípios perante a vida, acharam que seria o Homem ideal para lutar por uma nova sociedade, neste PORTUGAL adormecido. Estava a sociedade portuguesa, neste momento, pelas vozes de Eça de Queirós, principalmente, mas também de Oliveira Martins (OM) e de BATALHA REIS (BR), a tentar deixar a mentalidade romântica, para se lançar, em cheio, no REALISMO/NATURALISMO.
AQ ajudou os jovens revolucionários, participando nas “CONFERÊNCIAS DO CASINO” com uma palestra que, só vos digo!... fez cair “o CARMO E A TRINDADE”! Intitulava-se essa conferência ”CAUSAS DA DECADÊNCIA DOS POVOS PENINSULARES, NOS ÚLTIMOS 300 ANOS”.
Nesse documento, que provocou escândalo, AQ “batia” forte e feio, na MONARQUIA, NA IGREJA E NOS DESCOBRIMENTOS PORTUGUESES, que, segundo Antero nos deram riquezas fátuas, pois não nos ensinaram a trabalhar, mas sim a viver “dos rendimentos”… É claro que, nessa altura, a Monarquia pôs logo fim, à “orgia” revolucionária dos estudantes de Coimbra.
Em meu entender, a única coisa que mete medo aos grandes e poderosos é a força do Pensamento dos “pequenos, pois ainda não conseguiu “cortar” a sua raiz…embora, muitas vezes lhes tenha mandado cortar a própria cabeça….
Foi só este o contributo de AQ para a implantação do REALISMO, em PORTUGAL; este e as sessões literárias a que assistia e onde dava opiniões para um mundo melhor. Para além disso, ANTERO enveredou por uma linha romântica, da qual toda a sua poesia é um verdadeiro documento. Até a sua personalidade, com tendências depressivas, ajudou ao clima de tragédia que rodeou a sua vida. As muitas leituras de múltiplos e variados autores revolucionários ajudaram a contribuir para o seu desassossego de alma.
PROUDHON e as teorias de um socialismo, perfeitamente utópico! levaram-no a sofrer com as injustiças praticadas sobre os pobres, os desprotegidos e os infelizes, de um modo geral.
No capítulo poético, a vida de AQ dividiu-se em quatro partes principais: o tema da MULHER; o que reflecte o período revolucionário do tema do Socialismo utópico, onde AQ demonstra uma grande preocupação com as injustiças sociais; o tema do pessimismo e o tema do retorno à ideia de Deus.
Vejamos a sua atitude romântica, perante a MULHER, que, para ele é o anjo do ideal, sem mal nem impureza, atitude contrária à do romântico ALMEIDA GARRETT, na colectânea “FOLHAS CAÍDAS”…. O poema “IDEAL”: “AQUELA QUE EU ADORO, NÃO É FEITA/ DE LÍRIOS NEM DE ROSAS PURPURINAS, /NÃO TEM FORMAS LÂNGUIDAS (…) NÃO É A CIRCE (…) NEM A AMAZONA (…) É como uma miragem que entrevejo (…) NUVEM, SONHO IMPALPÁVEL DO DESEJO.”E a mesma visão se encontra no poema “BEATRICE”…
A busca do ideal, não a confinou A.Q. apenas à MULHER! O poeta lutou como um verdadeiro romântico, por um mundo marcado por ideais de justiça, de fraternidade, de humanismo. Apoiou-se, no entanto, ao contrário dos românticos que privilegiavam o SENTIMENTO, na RAZÃO, a quem chegou a chamar, numa belíssima Personificação, “irmã do amor e da justiça”.
E isto leva-nos à segunda fase da poesia anteriana, a do apostolado social, onde a sua elevação de carácter e o amor à revolução de ideias, costumes e sistemas, o levam a considerar que “A POESIA É AVOZ DA REVOLUÇÂO”, facto comprovado no soneto “A um poeta”, onde pede aos mesmos que não “adormeçam”, enquanto o povo sofre, e que transformem o mundo “num campo de batalha de novos ideais de vivência”: “Ergue-te, pois, soldado do Futuro/E dos raios de luz do sonho puro/Sonhador, faze espada de combate!”
Quanto ao tema do socialismo utópico: através de um certo paganismo, influenciado pelas leituras das obras de Hegel, Proudhon, Michelet, Marceau, Schopenhauer e outros, ele empreendeu uma luta tenaz pelo desenvolvimento, pela melhoria de vida dos operários e infelizes não bafejados pela sorte. Nesta fase poética. A, Q. divinizava a IDEIA, a RAZÃO e a JUSTIÇA.
A seguir, no seu percurso, parece antever “UM PALÁCIO DA VENTURA”, uma onda de esperança na FELICIDADE que se demonstra não ser verdade… “O cavaleiro andante” das causas perdidas cai, desta fase de PESSIMISMO, num período de desespero metafísico, em que retorna, APARENTEMENTE, às suas origens cristãs, mas que, apesar de poemas como “NA MÃO DE DEUS”, não é senão uma ilusão, pois o deus a que se reporta e na mão do qual quer descansar, é a MORTE, a NOITE ESCURA, a DESILUSÃO, que pedem descanso eterno! Oliveira Martins, um dos inúmeros estudiosos da sua obra, afirma:”ANTERO é um poeta que sente, mas é um raciocínio que pensa. Pensa o que sente; sente o que pensa”. Doente e cansado, com o encargo da adopção de dois filhos de um amigo falecido, na flor da vida, desanimado, sobretudo, por não ver o mundo a rejuvenescer, caiu num estado de PESSIMISMO, que marca a sua terceira fase literária, num poema “O palácio da ventura”, onde mostra ser como um cavaleiro andante, nos mistérios do universo, em busca da felicidade que parece estar ali, ali mesmo! mas que redunda em pura ilusão!:”MAS JÁ DESMAIO (…) dentro encontro só, cheio de dor, /Silêncio e escuridão nada mais!”
Quanto a mim, depois de ter lido e intuído a poesia de Antero, cheguei à conclusão de que a busca de uma relativa felicidade faz parte de um caminho longo e sempre inacabado, porque cheio de “pedras”, de desilusões insuperáveis, de decepções tremendas, restando-nos a Esperança de podermos viver um pouco melhor, num FUTURO que não sabemos se teremos ou quando acabará.
Falta referir-me à última fase dos sonetos de Antero, do Pensamento marcado por um tal desânimo que, aliado ao isolamento, ajudou a que, em 11 de Setembro de 1891, num banco de jardim, nos Açores, sua terra natal, ele desse um tiro na cabeça. Nesta última fase, parecia que o poeta tinha reencontrado a fé da sua infância, ao deixar-nos poemas como “NA MÃO DE DEUS”, “À VIRGEM SANTÍSSIMA”, “A UM CRUCIFIXO” ou “SOLEMNIA VERBA”… Pura ilusão! Este deus de que Antero falava era, nem mais nem menos que a MORTE, A NOITE ETERNA, o DESCANSO FINAL a que ele chama, no soneto “NOX”, ”NOITE DO NÃO-ser….

NOTA: texto longo, que é, apenas, uma ajuda para quem tem que conhecer ANTERO de QUENTAL, mais profundamente. O texto não dispensa aulas de PORTUGUÊS por parte de alunos, e é somente uma súmula da história literária deste grande poeta, destinada a um público menos especializado na matéria.

BIBLIOGRAFIA
“História da literatura Portuguesa” de António José Saraiva e Óscar Lopes, 1979, 11ªedição, PORTO EDITORA;
“Dimensão Literária”de Vasco Moreira e Hilário Pimenta, PORTO EDITORA;
“História da Literatura Portuguesa-XVII/XX, de António José Barreiros, 5ªedição, EDITORA PAX.

Maria Elisa Rodrigues Ribeiro

terça-feira, 7 de dezembro de 2010


FOTOS GOOGLE


Por onde andará o que FUI?



Restos dispersos do meu Passado
enrolados em lã suave
Repousam, no meu pensar
em tudo o que pus de lado…

Teimosas memórias
Que não quero recordar,
Insistem em ali pousar…
Aceito, as da minha infância!
Inspiro-as… até com ânsia!
As que exalam odor de nuvens!

Outras
Estão fechadas ,como o MAL…
A “sete chaves”…
Que não quero nunca usar!
Passou… foi-se… não vão poder voltar,
Pois não o vou permitir!

Cheira melhor o Futuro
Que faço a cada momento!
Aí, sim!
Fixo nele o Pensamento,
Senhora da certeza que é este meu PRESENTE!

O Sol queima-me as más memórias!
OH, meu amigo e aliado, não fujas!
Fica a meu lado…segura-me a luz dos olhos
Com que não fixo teu brilho
Que fere, como um atilho de FOGO…

Quem me dera ser “menina-dos-teus-olhos”.
Outra vez!
( FOI O PASSADO QUE O FEZ…)
Levou-me das tuas mãos,
Confundiu-me as ilusões
E hoje, sou o que vês,
Cônscia da amargura das tantas desilusões…


C7G -162/94 –OUT/09

domingo, 5 de dezembro de 2010

O escandaloso "governo " da PT(PORTUGAL TELECOMUNICAÇÕES)

FOTO GOOGLE



Num país em plena miséria, em que todos estamos a pagar os erros do governo, esta empresa pública está-se "borrifando" para os pobres e vive, com aval dos governantes, num paraíso fiscal, que é o que, daqui a mais podemos chamar a "este pequeno rectângulo, à beira-mar plantado"!
Tal como a EDP, a GALP e outras similares, tem a PT sido beneficiária, nos últimos tempos, de condições vergonhosamente privilegiadas-sempre com ajuda do estado-para funcionar como outro estado, impondo taxas e aumentos exorbitantes aos consumidores. nós, portugueses,de modo a não perder os milhares de milhões de EUROS de lucros escandalosos, que ,aos poucos, vai dividindo entre os seus amigos...
Todos os pobres de PORTUGAL estão a ver os seus salários cortados mas...eis que a Pt, num golpe de MIDAS, se arma de toda a astúcia para fugir ao pagamento de 70/80 milhões de impostos, "ajudando", deste modo, os seus "pobres" accionistas!
Golpe de génios!
E os amigos lembram-se do caso do funcionário milionário...o senhor rui pedro soares, de fraca memória?Pois...o presidente da empresa, henrique granadeiro, recusa a entrega ao PARLAMENTO do resultado da auditoria que foi feita à actuação desse senhor, desautorizando, deste modo, a promessa feita por ZEINAL BAVA de que a verdade seria dada a conhecer à comissão de inquérito!
Diz granadeiro que ninguém tem nada a ver com assuntos internos da PT!
E aí é que você se engana, ricaço!A PT é assunto do interesse público! Da sociedade portuguesa que paga impostos e não admite a promiscuidade entre o poder político e empresarial!BEM...digamos que não admite...MAS, CALA....
Essa promiscuidade tem permitido a meninos como soares e penedos, entre tantos outros milhares de "boys",ascender a cargos mais remunerados do que o próprio presidente dos Estados Unidos!Meninos amigos de outros amigos de outros amigos...a quem se permitiu lidar com tantos milhões, que eles tiveram que se perder nos rastos de tanto dinheiro...que vai faltando para pagar as despesas do estado...para diminuir as dívidas...para aumentar, uns cêntimos por dia, os salários e as reformas miseráveis dos portugueses de terceira ,quarta e quinta qualidade...e que têm que pagar isso tudo!
Não será HORA do DESPERTAR, portugueses?
Sabemos que a EDP vai aumentar o preço da electricidade, já daqui a dias...
PERMITIMOS ? Comemos e CALAMOS?
Afinal, sabendo que sócrates nada liga a isto, para que são as chamadas greves nacionais, que param no fim do dia e que tanto lucro dão ao estado e às empresas, nos descontos que fazem do dia de greve?

sábado, 4 de dezembro de 2010

CARTA dos DIREITOS HUMANOS


fotos google



Comemora-se , ao longo deste mês de DEZEMBRO, o 62º aniversário da DECLARAÇÃO UNIVERSAL dos DIREITOS do HOMEM.

Este é um tema difícil de tratar, na medida em que sabemos que nenhum dos países sbscritores respeita a Humanidade e os ditadores nem sequer o subscreveram!
Este foi, apesar de tudo,o primeiro acordo mundial para salvaguardar os direitos dos cidadãos, no Planeta, garantindo níveis de igualdade ,fraternidade e justiça para todos.
A Segunda Grande Guerra, catastrófico momento em que o horror se elevou das tumbas para nelas colocar milhões de outros seres,levou, em 1945, à criação da ONU. A organização tinha por fim alinhar países para estabelecer a paz, dentro de novas fronteiras que redesenharam o mapa da EUROPA, principalmente.O homem não é perfeito...e as ideias de tolerância,paz e cooperação entre as nações, no sentido de manter a segurança internacional e respeitar os direitos humanos dentro de conceitos e liberdades fundamentais, levou a ONU a proclamar,em DEZEMBRO de 1948, a DECLARAÇÃO UNIVERSAL dos DIREITOS do HOMEM.

Esta declaração intuia, de imediato,igualdade perante a lei e direitos sem distinção de raças, cor ,sexo, religião e língua, direito à vida e à liberdade de expressão, bem como os direitos à pertença a uma família, à educação, aos bens básicos da sobrevivência...
Olhemos à nossa volta!China, Irão, Iraque, Birmânia, Laos, Cambogia, Sudão, Zimbawué...Genocídios em massa...torturas...prisões arbitrárias e ferozes--GUANTANAMO...ABUD ABI!-invasão de territórios soberanos, assassínios em massa por dinheiro e bens materiais...

Máxima desta Declaração: "TODOS OS SERES HUMANOS NASCEM LIVRES E IGUAIS EM DIGNIDADE E EM DIREITOS"! Imediatamente, a CHINA revoga estes direitos, entre outros países a quem a vida humana não interessa , porque atrapalha os seus satânicos intentos!
O PRÉMIO NOBEL DA PAZ, o chinês LIU XIABO, neste ano de 2010, está encarcerado nos GULAGS chineses, numa situação semelhante à da birmanesa AUNG SUU KY, recentemente libertada sob condições...não FALAr!

O mundo, como se conhecia em finais da segunda grande guerra, mudou, radicalmente.
o terrorismo vândalo,a globalização e as crises económicas estão a desviar a atenção das nações para outras realidades que não os direitos humanos.O século XXI deve acordar do meio destas tristes realidades para poder pensar nos direitos à vida de povos que vemos ,nua e cruamente, pelos meios de comunicação, não terem ,sequer, direito à água...quanto mais à vida!
E chegamos à conclusão de que ,hoje, mais que nunca, urge redimensionar o direito de igualdade no acesso dos cidadãos à justiça e à justa repartição dos bens de subsistência.

O nosso país continua a ser retratado nos documentos da causa dos direitos humanos.
Com a desculpa da crise e /ou do debelar da mesma, estamos a perder a "VOZ", em ataques de censura aos meios de informação, pressionados para não tocarem em certos vergonhosos casos que envolvem políticos e grandes figuras, em situações de desvio de dinheiros e outros tipos de corrupção...

O HUMANISMO desapareceu ,para dar lugar às ordens de BRUXELAS. As nossas crianças têm fome, chegam às escolas sem comer...Os reformados e pensionistas, em geral, vêem , sem nada poderem fazer, o estado roubar-lhes o dinheiro das pensóes ,logo na fonte...Miljões de EUROS continuam a ser repartidos, entre os grandes, a pretexto desta ou daquela lei...Os desempregados são cada vez mais, aos milhares...

Sei que há quem não goste que lhes lembre estas coisas mas...di-las-ei até que a voz e os dedos me doam...
Reflectir é o que se pede para renovar o espírito dos valores humanos!

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

DANÇA TRISTE...

foto google





... no leito desfeito

no odor do teu peito...

dançoTCHAIKOWSKY,

retumbante hino à guerra

pacífica, extasiante...

...de um MOMENTO que espera!



teus odores esbatem, fortes,

no odor de messalinas...

...corpos a arder sem nada ter...



misturo sensações numa confusão

de Emoções...

raízes desalinhadas, orientadas

pelo fulgor do vulcão que expeliu magma vivo

...enquanto não vem teu SOl

fazê-las desabrochar...



ondulam, suavemente, os odores

da engrenagem do AMOR...emperrados

trucidados pela falta de calor!

Frente ao espelho que não miro

resisto à magia de dançar

um coração a chorar...

Schubert..."AVÉ -MARIA"!



SENHORA da VIDA!MÃE da MORTE...

no desnorte do AMOR, feito ódio e furor!



chamo pelo mar bravio que foste

tentando acalmar sentidos não despertados...



Desabrochar que não FOI !



fissura palpável do teu ardor-miragem.

com laivos de vento leste, furioso e agreste,

vou nas ondas desse vento...

Tento acalmar o tormento de não-ser

de ver o fruto cair ao apodrecer...

Navego, então,no teu mar ansioso

desfeito...calmo...suado...

ODOR A PECADO-AMOR !



tiro o lençol da fantasia espasmática...

... pedaço de pano nobre...

... que acolheu minha nudez de deusa do amor

na luz esbatida dessa alma difusa...

quase escondida!...



E regurgito os beijos esquecidos que deste,

para não me sentir só na floresta do quarto

onde,flores a desabrochar em odores do Paraíso

esperam calmas por teu sorriso,

do qual escorrem águas de VIDA...



Apoteose da loucura!



Teu cavalo ardente, vigoroso, passou...

atravessou a floresta de nuvens

e rumou a outras direcções!



Estala o corpo que anseia por teu calor!

Sente que transbordas em teias de renda fina,

apagando percursos do AMOR...



Ânsia de adormecer em Ti no mais profundo de MIM !



.................Entro meus olhos nos teus......................



Danço RACHMANINOV no CORPO de TI sem MIM...

Engravido de música, sem FIM...

...e procuro teu ardor de MIM............A VIVER!



Maria Elisa Ribeiro

C9I 30(mqc)-DEZ/010

terça-feira, 30 de novembro de 2010

NOVO CANTO




…plantação arrojada
fruto da floresta-vida…
reabro…


…arara ferida
que salta de ramo em ramo
na consagração querida…


…sôfrega, quero mais…
… algo que ponha a alma que tenho
à espera do que não tenho…


…sonâmbula da felicidade,
acordo e num repente
o PRESENTE perdeu o PASSADO
na idade tenra…
…tempo da doce verdade…

…canto o choro das montanhas desbotadas,
…dos rios de águas paradas,
poluídas…excrementadas…
Grito os aços que ferem
…que querem, sempre , doer,
em cada AMANHECER!

…tendão dos Sonhos…
…calcanhar de factos medonhos!
Ancianidade da VERDADE reposta em MIM…
…lamento não ser um SIM…


…muralha frágil,
caí das alturas prováveis do amor,
crente da DOR do SENTIR
a mentira que não dou…

Explodi meu fogo na lava dos vulcões.

Por fim…
… canto a música de pianos enlouquecidos
de sentimentos vividos, dedos feridos…
e_____________ desabrocho para a VIDA______________
que não rebenta em mim,
no prazer da hora de SER –MULHER_____________!

Então, ACONTEÇO na origem do COSMOS_________
______________embrião a ressuscitar do RENASCER___________

…quero a VERDADE do SER,
que transfigura a fissura do meu NÃO-SER!

C9I- NOV/010

POEMA: VIVO ILUSÕES...


VIVO ILUSÕES…



Some-se o TEMPO na noite que passa
Devagar,
Desiludida de MIM
Que não ouso ACREDITAR…

Atravessa, (ele), a ponte da minha desilusão…

Espera-me (ele) no meio da sensação
De PERDIDA que marca, hoje, minha VIDA.

Falta-me um toque de mãos,
Um beijo diferente…
Um aperto no coração
Lembra teu olhar distante…

E o sino da minha igreja interior
Continua o seu tocar a rebate…
Acorda-ma na melancolia
Do nascer um novo dia…

POETISO a sensação de vazio…
Engano-me na ilusão…
Minto-me para além do desvario…
A dor é uma excepção…

E sinto nos pés
A estrada que ainda não percorri…
Anseio por encontrá-la
No cruzamento místico de TI, COMIGO…

VIVO ILUSÕES…

Meu DEUS…que VIDA pequena me propões!
Não tenho TEMPO de encontrar meu caminho…
Estou sozinha na vontade de superar o mero SONHO
Que me mantém afastada do AMOR,
Que-confio! - há-de, por fim, aparecer!

Barco sem rumo…
…à volta, tudo é fumo, nevoeiro denso, intenso…
Estou dentro de tormentos…
…de vagas alterosas dos meus sentimentos!

No Horizonte, vislumbro
Um vulto cavalgante…
…meu “SEBASTIÃO” da HISTÓRIA?

Volto ao cais…
Abraço tua miragem…entre os demais…
…sem a certeza desse encontro de mortais…

VIVO TRISTES ILUSÕES…

C9I-56(mqc)- NOV/010

segunda-feira, 29 de novembro de 2010


APOGEU



Apogeu da minha eternidade
escorre em tom de pérolas doiradas
pela face…
essa estrada,sulcada,
não explorada
de MIM…

Gotas de oiro sagradas…
Tenho-as guardadas
para te banhar a pele no dia em que,
num círculo de FOGO,
estivermos num anel…

SONHO…
Desespero, porque sonho!

Uma linda rosa rubra
Saída do meu jardim,
olha, surpresa, para mim…

Que faço dela, Senhor?
Eternizo-a em mim,
que me piquei no vermelho seu…
quando me ofereceu o Céu?

Refúgio do lirismo prenhe do meu EU…
Doce entardecer do meu alvorecer…
Vida que se esgota na vida…
Derrame na minha ferida…
Sonho do VIVER meu!

QUE MAIS PODERIAS SER?



C8H-13/68—JLH/010

domingo, 28 de novembro de 2010




Este texto sobre a obra de EUGÉNIO DE ANDRADE É UM APOIO, APENAS!- PARA OS ALUNOS DO 12º ANO , que terão o poeta como objecto de estudo, para o exame nacional.Não dispensa as aulas de PORTUGUÊS!!!
O TEXTO NÃO RESPEITA AS REGRAS DO ACORDO ORTOGRÁFICO.


De Eugénio de Andrade diz ANTÓNIO LOBO ANTUNES:
“Este poeta é o amigo mais íntimo do sol…mas é, igualmente, o conhecedor melancólico da sombra.”

A poesia de Eugénio de Andrade (E.A) foi sempre, apesar da transparência (aparente…) e da simplicidade, um campo onde o sol alterna com a sombra, a terra com o céu, a justiça com a injustiça, e assim por diante, no campo de todos os opostos que caracterizam as vivências humanas.
Desse modo, do que sei sobre este poeta, posso dizer que ele trabalhou, com lágrimas nas mãos, os temas mais naturais da Vida do HOMEM-SER: a casa, a terra, o ar, o fogo do amor e da vida, da paixão pelo que somos e fazemos…guardando, nessa poesia, um lugar muito especial para a figura da MÃE: …”No mais fundo de ti/ eu sei que traí, mãe. /Tudo porque já não sou/ o menino adormecido/ no fundo dos teus olhos. /…Ainda oiço a tua voz: “Era uma vez uma princesa/ no meio dum laranjal…”
Não me esqueci de nada, mãe. /Guardo a tua voz dentro de mim.”
A poesia de E.A sentiu-se envelhecer, à medida que envelhecia o poeta: foi uma vida a dois, com a qual ambos lucraram; nos ardores da juventude e, mais tarde, naquela idade em que, apesar dos “enta”, ainda nos sentimos capazes de ser jovens…foi isso mesmo que o poeta fez com o leitor, oferecendo-lhe uma mensagem poética clara, diurna, solarenga, em que ele quase nos pede que peguemos a vida nas mãos, tão maravilhosa ela é!
Mas o poeta tem consciência do fatal envelhecimento e das fracturas que provoca, em todos nós, pois começamos a ver diminuir os dias que faltam para a fatal Verdade do homem. A noite cerca-nos e a solidão, mesmo que acompanhados, dói:” Hoje deitei-me ao lado da minha solidão…” E então, a velhice torna-se para o poeta “uma doença da alma”.
Para nos ajudar na interpretação da sua poesia o poeta busca, afincadamente, a PALAVRA certa, aquela de que qualquer um precisa, “naquele exacto” momento para lançar aos ventos a Mensagem. Por isso, sofre, pois, tendo tantas à sua disposição…há sempre outra que talvez “ali” ficasse melhor…
Sobre as palavras diz, então, E.A:”São como um cristal…/…Algumas, um punhal, um incêndio…orvalho…secretas…inseguras…pálidas…desamparadas…cruéis…desfeitas…”
A sua linguagem sentida tem por função despertar no leitor as emoções indispensáveis à “leitura”, à compreensão da mensagem poética.
E sabe-me a música qualquer poema deste homem superior, tocado pela Musa!
O escritor Vergílio Ferreira chamou-lhe “Poeta da intensidade”; e essa intensidade espalha-se de tal modo a toda a sua temática que é forçoso ver na sua obra a preocupação humanista, nomeadamente quando se refere ao corpo humano, à mãe, à terra, à casa- lar, à saudade, ao corpo, à luz e às sombras.
ERNST CURTIUS diz:”…tema é tudo o que tem a ver com as relações primitivas da pessoa com o mundo.”
Ora, há por aí gente que, como as plantas mirradas, nunca chega a desabrochar. Ou, por razões que a própria razão desconhece, ou porque não conseguem abrir-se ao mundo devido a um número elevado de motivos, que se prendem até com condições educacionais, sociais e/ou político-filosóficas, impeditivas do conhecimento, que as pode engrandecer. Isso não aconteceu com o nosso poeta de hoje, o qual, apesar das adversidades, se impôs, “libertando-se da lei da morte”, como dizia Camões, dos outros heróis, de antigamente.
O amor, sobretudo, e particularmente, atravessa a sua obra; reparem na beleza que se expande do poema “Urgentemente”: “É urgente o amor…/É urgente destruir certas palavras, / ódio, solidão e crueldade;/ alguns lamentos, / muitas espadas/…É urgente inventar a alegria!”
Eu diria, “ reinventar”…pois, entendo o poema também como um apelo à PAZ, a tudo o que possa unir o Homem à terra em que habita e com a qual forma um corpo místico, uno.
A terra, o nosso mundo, tal como nós próprios, é imperfeita, dado que nós para isso contribuímos e, por esse motivo, alterna sol com sombras…Ora o poeta anseia por luz e claridade, pelo discernimento que encaminha a personalidade para o aperfeiçoamento.
Assim, sofrendo com as dores do mundo que o rodeia, declara-se, abertamente contra o “ nuclear”, por exemplo, dando um testemunho importante para essa questão, no poema: “Ao Miguel, no seu 4-0 aniversário e contra o nuclear, NATURALMENTE!”
Amigos leitores: mesmo que pensem que não gostam de “versos”…façam de conta que gostam! Andem lá…leiam um bocadinho de qualquer um, dos tantos melodiosos poemas da nossa história literária e, se quiserem, tirem dúvidas comigo!
Deixo-vos, hoje, com um pensamento de Montaigne; nem importa quem ele é…Basta que reparem na sua mensagem: “O fim último da vida não é a excelência mas sim, a felicidade.”

sábado, 27 de novembro de 2010

POEMA "NÁCAR"

FOTO GOOGLE



“NÁCAR…”


Pérolas
De água salgada
Poisam
Na pele seca, enrugada.

O horizonte
Em fogo
Cheira a incenso

Olhos de navegante
Molhados
De areia de Belém
Perdem-se
Na aura
Da Saudade
Da mulher e da mãe

Horizontes
Sonhos prometidos
Esforços dobrados
Com temor

Adamastor de todos os dias,
Acende a coragem das maresias

Mar intenso
Moldura
De meu país
Em suspenso

Mar
Do tempo lento
Que
A vida prometeu…

Bengala
Do comprimento
Na largura de EXISTIR!
Perde-se a vista
Na montanha
Lá atrás
A chorar…

Singela tremura…
O SONHO?
PERDURA…



C7G- (OI)-45/48- JAN/010

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

O drama vergonhoso da FOME...


Portugal...século XXI da "era do senhor"...sócrates!



A fome é uma consequência da falta de respeito dos governantes pela mais elementar dignidade humana.
A Vida não é-não deve NUNCA ser-um passeio de virtudes! Isto, porque o HOMEM tem o dever de a transformar ,em prol do seu próprio bem; e, para isso, dispõe de meios que o ajudem a cumprir a sua missão...Mas que fazer quando, no caso da fome, não conseguir superar as terríveis estradas, que a ela conduzem?
Este fim de semana decorre por todo o nosso país, o habitual peditório dos voluntários dos "BANCOS ALIMENTARES CONTRA A FOME", num momento difícil da vida desta estranha TERRA, que é a minha, onde nasci e vivo.
Momento difícil, porque não temos políticos à altura da grandiosidade do povo que (des)governam! Não ,não me enganei! Disse-o voluntária e conscientemente: não temos gente capaz de governar o país, porque se vão governando primeiro a eles mesmos!

Não somos virtuosos, como seres humanos...não somos perfeitos...temos milhentos defeitos e pouca vontade de os admitir e corrigir!Não sabemos usar o nosso livre arbítrio para nos valorizarmos aos olhos do senhor, seja Ele Quem ou O que for!

Como Humanista,não costumo deixar passar em branco a importância que certos acontecimentos podem ter, no contexto da vida humana.Por isso vos falo ,hoje, com lágrimas nos olhos, deste dramático momento da vida de um povo que foi e é grande, mas que nunca teve governantes à altura dessa grandeza, tornando-se, por conseguinte, pequeno, por não saber como resolver o drama da FOME, do DESEMPREGO, da MENTIRA em que nadam os seus governantes de nome... Sim, de nome!- porque não governam sem sugar até à medula , o sangue dos seus irmãos de sangue!

Há fome em PORTUGAL! Há miséria cruel que permite que as crianças portuguesas cheguem às aulas, sem comer!
Há milhares de desempregados, desempregados de curta e longa duração, há milhares de jovens licenciados a procurar as limpezas e as fábricas de encher chouriços , no estrangeiro, para poderem sobreviver e ajudar as famílias quase indigentes, há milhares de sem-abrigo a dormirem na rua (estamos com temperaturas quase negativas!), a quem algumas almas devotadas à causa, distribuem ,no frio da NOITE, uma ligeira refeição quente...Pela boca do inqualificável ministro das finanças que temos, perfeitamente sintonizado pelo pensar -(des)pensado de sócrates, ficamos a saber,hoje, que "dê lá por onde der" a crise tem que ser combatida com o sangue o suor e as lágrimas deste povo, que não tem pão! mas tem que pagar os erros da governação deles! Mesmo sem dinheiro , com impostos sobre impostos sobre impostos, num não mais acabar de miséria, os portugueses vão ter que ver o déficit baixar!

Não há aumentos de ordenados...mas todos os bens de consumo , indispensáveis a uma vida digna, sobem ,diariamente, num turbilhão de loucura , que não sei no que vai dar. Desde os tempos de SALAZAR que não se via uma miséria tal... AS instituições de caridade e as portas das igrejas são poiso obrigatório para quem não sabe o que há-de fazer à vida! Os párocos pedem ajuda ,que lhes não chega de lado nenhum, pois este governo "emigrou" para os aeroportos novos, para as mega pontes, para os combóios de alta velocidade , para os carros blindados para a CIMEIRA DA NATO, que só chegam...chegarão?depois da cimeira, que já FOI...
A ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA aprovou ,hoje, só com os votos do PS ajudado pela abstenção do PSD, o novo orçamento de estado para o próximo ano...Mais miséria a caminho de se encontrar na encruzilhada da miséria...
Os idosos, com meia dúzia de euros de reformas ultrajantes e indignas da dignidade humana, vão pagar impostos para pagar as mentiras do tal sujeito que foi, no passado ano, nominado por revistas económicas estrangeiras, como "o pior ministro das finanças da comunidade europeia! As grandes empresas têm lucros escandalosos que repartem pelos administradores ,directores e outros "grandes senhores"!

A greve geral do dia 24 deste mês foi classificada como "greve parcial" por um dos ministros de sócrates, o da economia...é quase impossível contabilizar a pobreza em PORTUGAL... fala-se de mais de 30% de pobres ...mas os miseráveis são mais... Nota-se no talho, na loja da aldeia onde estão na moda , como há 40/50 anos ,os livros de "FIADOS"! Não há classe média em PORTUGAL! DESAPARECEU debaixo da manta negra do desgoverno dos socialistas!Quantas vassouras são precisas para varrer o lixo português? Ninguém já sabe...

FIM DE SEMANA DE ESMOLAS PARA OS POBRES E FAMINTOS DE PORTUGAL!

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

REFLEXÕES...(I)


PERCURSO INTERIOR…

Reflicto sobre “as margens”do rio do meu viver.
Cheio de percalços e poucas venturas, o caminho traçado pelos deuses para eu executar, havia de ser-como foi !- duro…
REMEMORO…
Algumas das minhas realizações ajudaram a tornar mais claro o cenário em que me movimentei.Com coragem decidida por meu calor interior, qual barco de aço cortando os mares de gelo, fui vencendo etapas…Orgulho-me de nunca ter deixado cair os braços; antes pelo contrário, levantei-os sempre até aos ramos das árvores mais altas, para colher seus frutos. Alguns, apanhei-os…Outros caíram no chão, apodreceram e deram húmus para a TERRA rejuvenescer.
Lágrimas, desespero e falta de Esperança ladearam meus sorrisos, alegrias, ilusões…
VIVI “músicas” tremendas, no meio de desconfianças…As mais sonantes perduram no meu espírito e enriquecem momentos de exploração interior…Soam suaves, ao sabor das reflexões e dão vida …Vida…que é o maior desafio que o HOMEM tem de enfrentar, que é eterna peregrinação com mãos vazias, para poder atingir algo de novo…E quando se passa a vida a peregrinar…vê-se, de repente, que a vida se adiantou no TEMPO, QUE o caminho deve, apesar de tudo, seguir em frente…A vida, torna-se, então, uma aprendizagem contínua, a qualquer hora e em qualquer lugar, até ao fim do FIM.E também, apesar de tudo, sendo a vida um presente, por ele devemos estar gratos, tudo fazendo para que os olhos do coração a possam apreciar, dando-nos nota das suas apreciações…
Foi a vida que deu forças À PRÉMIO NOBEL BIRMANESA, AUUN SUU KY, mulher martirizada sem direitos e sem liberdade, por mais de 15 anos, ao longo dos quais perdeu marido e a felicidade de se sentir nos braços do amor, para esperar, serenamente, pelo dia da sua libertação. A VIDA dá forças aos povos martirizados por ditaduras ferozes, para a resistência diária…isto, porque ela é a maior VERDADE do HOMEM, a que ele deve ser fiel! Ela é, ainda, o projecto que temos o dever de ir alcançando, desde que vimos os primeiros raios de luz, ao nascer.
Vivi também “músicas “ desconcertantes que soam, cá dentro, com a força de um bofetão e lembram, por vezes, o tiro de canhão contra almas indefesas, esfomeadas, amarguradas pela desesperança, nas perspectivas futuras de um lampejo de sobrevivência.
Vem-me à memória a Redondilha onde CAMÕES desconcerta a vida, através do tema da justiça:
“Os bons vi sempre passar/no mundo graves tormentos;/
E, para mais me espantar, /os maus vi sempre nadar/em mar de contentamentos. /(…)
Hoje, mais contemplativa, pelo menos à moda de Camões, dou graças a Alguém que me tem forçado a encontrar um pouco da minha verdade. E, sinto-me uma Eternidade…sinto que perduro nas dores e alegrias, nas dúvidas e certezas…Cá dentro, vou encontrando, ora suave ora desalmadamente, um braseiro, onde se aquecem os deuses que tentam explicar-me o mundo…o meu e o dos outros…
Concilio-me, reconcilio-me…
Desisto de mim, quando o próximo depende do sorriso do meu olhar, da brancura do meu falar e da força do meu (escasso!) rezar. E lembro o que os Filósofos pensam e dizem sobre a VIDA…e farto-me de rir, pois eles, ao terem que viver, cumprindo o seu “percurso”, não pensam nem falam de outra coisa… vão vivendo…
Já nem falo dos EXISTENCIALISTAS!....
Mas, vejam MARCEL PROUST E JOYCE: este último, reduz a vida humana a um qualquer dia, de um qualquer homem…O primeiro, PROUST, dilata-a até acumular várias gerações!
Falava, ali atrás, do rezar…Eu sei REZAR! Sem palavras, embora…Levanto os olhos para o céu e ,no meu silêncio, o Pensamento encolhe-se perante a “GRANDEZA DESCONHECIDA”…Respiro o ar das montanhas e a maresia das ondas do MAR…Extasio-me com o chilrear das avezinhas que cumprem uma missão, dando a alegria à minha solidão. Sinto o Vento passar pelos meus cabelos e entrefechar meus olhos…Oiço o cantar misterioso do mundo que me rodeia…Esqueço as tristezas que me dá quem me chateia em absurdos jogos de palavras ,viradas para as tristezas , as estrelas cadentes, para a morte das gentes…
Imagino-me num cavalo mágico que me leve ao AMOR…É pedir muito, SENHOR?
Então, fujo de lagos paúlicos de aniquilamento interior…Com fervor na minha floresta- vida, afasto pedras e galhos… confio nos atalhos do meu EU, na caminhada pela VIDA…Alguns, magoam e resistem…Tantos enganos danados … MAS continuo…Eu sou assim: caio e levanto-me…crente, resistente, desconfiada e confiante…Paradoxal verdade?
O chão quente, de caruma coberto, não é um puro deserto! Vejo-o, sinto-o por baixo dos pés, toco-lhe colhendo ervas…filhas da floresta do meu desespero telúrico. Sinto a Vida a chamar-me nas vozes enganosas de algumas expectativas goradas…Repouso do cansaço, cansando-me…interrogando-me…
Guardo, tudo, depois, na prateleira da memória…
Sou o único obstáculo a MIM PRÓPRIA…Confio em Sonhos sem fim que estão a dar cabo de mim… O meu doce interior, leal, sincero, frontal, não está pronto para o mal que me fazem…
Pressinto a mentira na voz do cavalo alado…que relincha de dor, perante meu coração magoado…
Vacilo entre o muito que dou e o nada QUE RECEBO, EM TROCA.
Concluo que sou a minha Eternidade, minha culpa, meu desvario, minha rara alegria, quando esta eternidade permite .

terça-feira, 23 de novembro de 2010

POEMA: "Pensamento vadio...


fotos google



“Pensamento vadio…”

Movi-me. Fui olhar o manso rio, ver correr a água doce.
Vi folhas mortas sumirem no Ocaso da sua vida…
Segui-as com o olhar…Pareciam palpitar, pisando seixos fininhos!

As mãos, pu-las de molho!
Mergulhei-as lá, bem fundo;
Sentei-me, depois, nas margens, vendo deslizar as águas
que corriam para o mar…

Seres mágicos paravam… fadas, gnomos, duendes
escondidos em tenras ervas,
sentaram-se…seguiram-me o pensamento…
Despi-me de estranhas névoas;
entrei na minha humana dimensão…


Sou a minha própria casa…
(…CASA DAS MINHAS MEMÓRIAS…)
…poucas boas, tantas más!

Pego nas páginas do meu livro pessoal.
Vejo o bem e vejo o mal…
E enquanto as águas correm,
sabendo que nunca morrem,
passo os tempos a viver,
desde que me vi nascer…

(CHEGO A CONTEMPLAÇÕES DE MEUS SONHOS E AMBIÇÕES.)

Corre o rio…sinto frio…

AH! PENSAMENTO VADIO…
SEMPRE PRESO POR UM FIO….




C7G-9/97- NOV/09

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Blogs : São Tomé e Príncipe

Blogs : São Tomé e Príncipe

Blogs : São Tomé e Príncipe

Blogs : São Tomé e Príncipe

POEMA : "FEITIÇO..."

foto google


“FEITIÇO…”


Feiticeira me vejo
Na ponta da estrela polar,
Que não denuncia minha loucura
E me cobre, com sua própria magia…

Faz frio!
Nevoeiro denso, bruma enervante…
Lampeja, por instantes,
A estrela dos pólos mágicos
Da minha gravitação
Nesta imensidade do firmamento,
Em agitação…

Teço pérolas de orvalho
Retiradas da branca névoa
E enfeito-me com a magia
Que escorre da fantasia!

Meu vestido rodado,
De gotas de água tecido
Afaga-me…
Tão natural como aurora boreal
De milhentas cores urdido!

Desprende-se de mim
O ar daquela magia esquiva…
Rodopio, limpo a face,
Torno à nuvem mais próxima
Que se desfaz nos raios de sol
E me coloca, lá no alto,
Como um marco…um farol…



C7G- 32/44- (mds) -NOV/09

domingo, 21 de novembro de 2010

"OS GAITEIROS DE PORTUGAL"


fotos google



Os amigos estão habituados a ver-me postar outro tipo de música...
Esta, que ontem aqui coloquei, genuinamente popular, teve uma intenção: mostrar-vos quanto é bem mais bonito olharmos para as nossas raízes, que para uma CIMEIRA de um mundo que fala da guerra, pura e simples, sem se preocupar com as doenças, a miséria e a fome!
Pretendi contrapor aos Hinos nacionais dos "CIMEIRISTAS", a música do meu povo, do povo que vive e trabalha nas aldeias raianas, paredes meias com a ESPANHA, de quem nos separámos ,como país independente, por volta de 1143...
Estes gaiteiros são a prova viva de que as nossa raízes, a nossa génese, o "rizoma" que nos foi projectando pelos séculos fora, se mantêm intactos, na genuinidade do que somos ,como país!

Os gaiteiros de PORTUGAL têm um som que arrepia e comove!
Falam-nos dos tempos em que o "REI LAVRADOR"(D.DINIZ) nos presenteava com CANTIGAS DE AMIGO E DE AMOR...dos tempos em que não havia BANDAS FILARMÓNICAS nas cerimónias religiosas...em que não havia GRUPOS DE MÚSICA ROCK, nos arraiais...

Remontam ao tempo da magia dos árabes...e se eram meio de expandir a alegria verdadeira do povo simples nos seus usos ,costumes e tradições, eram também meios de comunicação entre os povos das diversas aldeias do interior, contra a aproximação dos inimigos...Lembremos que fomos Habitados por Celtas, Iberos, Lusitanos, Romanos, Árabes, Godos e Visigodos, Judeus,ETc... tantos! e que,hoje, somos ,genéticamente, uma mistura complexa de "MAGMAS SANGUÍNEOS" que nos tornam um povo especial, diferente, dentro do contexto das nações!

A minha sentida homenagem à genuinidade do toque doa "GAITEIROS"!

sábado, 20 de novembro de 2010

"LUSIBERO...próximo do fim?"

Tenho pensado nessa hipótese...Só o respeito pelos seguidores, mesmo os que nunca fizeram um comentário, me tem bloqueado a vontade de parar...
Desde que estive doente , no ano passado, não consegui pôr em dia as minhas obrigações para com quem me comentava. Comentário sobre comentário, fui ficando para trás e tenho conseguido manter o contacto, só com alguns, desinteressados, amigos... que muito prezo!
Por outro lado, este blog tem quase 20.000 visitas ao perfil, quase 7000 visitas no "WIDGET" de estrangeiros e portugueses e mais de 4000 no outro WIDGET...
SERÁ JUSTO ABANDONAR TODOS OS MEUS CAROS AMIGOS?
Sei que os há, que gostam dos meus contactos...Irei ver quando e se ponho tudo em dia...Caso contrário, terei que repensar este meu espaço.
UM bEIJO AMIGO
Mª ELISA

CIMEIRA DA NATO EM LISBOA


MAS...nem um terrorista....?


- Portugal enlouqueceu, ao longo desta semana,que hoje termina.
A CIMEIRA DA NATO fez mover milhares de homens de tudo quanto se possa chamar "forças de segurança", para, com denôdo, não deixar os seus créditos por mãos alheias e receber os milhares de VIPs e seus normais acompanhantes, "comme il fault"...
Ruas fechadas na capital e arrabaldes, o ACORDO DE SHENGEN suspenso para evitar a entrada, em PORTUGAL, de "INDESEJÁVEIS"e habituais "DELINQUENTES"..neste tipo de situações...Controle de pessoas e bens...deram nas vistas...!e lá estava sempre um repórter para testemunhar a eficácia das forças de segurança...Enfim...comédias à portuguesa!

"Nunca tal se viu" no nosso país, dizem os entendidos bem como os meios de comunicação social, que exultam com este "material" que enche páginas de jornais e tempo de antena das TVs, por todo o mundo, fazendo crer que a "Dona crise" não está cá...
E o "anão" da EUROPA...já corcunda da crise de valores e de falta de dinheiro, dá saltos de contentamento" porque está a ser falado em todo o mundo...!

As forças de segurança portuguesas, que nunca estão por perto quando os ladrões e delinquentes mafiosos assaltam ourivesarias e casas particulares com requintes de barbárie, que lembram o primitivismo "rizomático" das civilizações,-as forças de segurança, dizia eu-têm-se multiplicado em acrobacias de vigilância nos "pinotes" dos prédios, encarrapitadas em escadas e escadões/ escadotes!perfurando os ares com binóculos magmáticos...

E foi pena não terem chegado os tais carros anti-motim, no valor de 5 milhões de euros, (que a nossa GNR já tinha cá- IGUAIS, aliás!)para serem usados em qualquer perigosa eventualidade!Ouvi na rádio que só chegarão depois de toda esta COMÉDIA, a que estamos a assistir...
Tudo isto, imaginem só!para lutar contra as tais forças subversivas e os terroristas...

Ora acontece que ,no entretanto, os repórteres e jornalistas dos nossos jornais e estações de TV, num assomo de inteligência flagrante, lembraram-se de ir pelas aldeias raianas perguntar a quem por lá vive ,distante do palco cénico de LISBOA, o que pensavam de tudo quanto se estava a passar...se as forças de segurança por ali passaram...se havia caminhos por onde se pudesse entrar em PORTUGAL, sem ser detectado...se...se...se...

E o povo genuíno, o que sofre a falta de cuidados de saúde, de escolas, de dinheiro,
o povo português que, como é hábito, se queixa primeiro da miséria estigmática em que vive...lá foi dizendo que não...que não tinham visto ninguém por ali...e que sim, que era poss´+ivel entrar e sair de PORTUGAL por todos "aqueles...ali..." carreiritos ,que antigamente foram usados por contrabandistas e por homens e mulheres que "iam a salto" para a ESPANHA e depois , para FRANÇA!

Ironia das Ironias!-São 19 horas deste sábado...e ainda nem um terroristazito de meia tigela se deixou tentar e entrar em PORTUGAL!
Já não metemos medo aos terroristas...eles nem se incomodaram em pôr à prova as nossas medidas de segurança!

Fora de brincadeiras, amigos, estes assuntos dariam para rir, se não fosse o estarmos na maior das misérias...se não gozassem com a cara deste povo e lhe dissessem as verdades nuas e cruas e lhe contassem a história de como se vai sair da crise que nos tem na corda bamba da banca rota, sem ver a luz ao fundo do túnel...se lhe explicassem por que é que se têm instalado, entre nós, com a maior tranquilidade possível, os mafiosos de todo o mundo, que já conhecem a nossa atávica falta de segurança e actuam , por cá, na impunidade total...

Valha-me DEUS...Mas se apanham umas navalhitas...uns folhetos contra a NATO...onde estão os terroristas?

Uma pergunta, meramente retórica: QUEM PAGA????

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

PRESENTE…átimo de MIM…




(Fotos Google)


EXISTIR É SOFRER…
NATURAL…ESPONTÂNEO…



Sente-se o apelo da NOITE
na proporção da normalidade vital…
O dia, consequência natural das forças universais
que giram na GÉNESE da existência cósmica,
saúda as promessas do caminho para o aperfeiçoamento…
“ESTRADA” do meu tormento… meu dia a dia faminto…
…sopro ideias para me não trair…

Sinto-me um inchaço do cansaço
que não quer evoluir
rebentando como flores de jardim…
Música de árvores batidas pelo vento, turbulento, sensual…

A música esconde-se no meu interior
pondo BACH em ligação com as angústias,
sem perspectivas de VER ACONTECER
o meu VIVER, nos braços enlevados do AMOR…

Tanto gostava de sentir a franqueza desnorteada
da TERRA, quando explode o magma…
…seu esperma natural…
…que em vez da vida dá morte…
no corpo da terra assustada… excitada!

E fujo dessa obsessão vagueante
…deslizante…nas encostas sofridas
do meu SER penitente!
Amo a VIDA! Amo a TERRA genesíaca…
Minha AFRODITE fatal…telúrica… sensorial…
Amo a pintura impressionista de ambientes escaldantes
(mesmo que, só por instantes…) no profundo de mim, ORIGEM
do PRINCÍPIO, COM FIM…

HÁ VERDADE NESTE MOMENTO DE MIM!

Por isso, PROMETO o meu PRESENTE…
átimo da minha EXISTÊNCIA
em cadeia de elementos dispersos
nos versos da TERRA…
em forma de FOGO, AR, ÁGUA e húmus fertilizante…

Odeio a intelectualidade do pedaço de boroa que me alimenta…
…fruto do cereal pujante
que a seara pariu, em dia de calor e extrema dor…

Ele foi farinha brilhante, pujante,
tal TU a arder no meu interior vulvar…
AMOR É COMO O PÃO…
…SEM FARINHA…não existe,

NÃO!



C9I-(mqc)-57/NOV/010

POEMA: TEMPESTADE...


FOTOS GOOGLE



TEMPESTADE

Pressinto-a…
Ares frios…palavras desconexas…de circunstância…
Visão de um “nocturno” que incomoda, que afije…
Me deixa suspensa…
Tensa…
Sem vontade de pensar…

SINTO-ME INSEGURA!

A Noite Escura volta a aproximar-se
Em tom sensual…
O meu Sentir a VIDA não é normal…
Mudas com tal frequência
Que as minhas questões de maior evidência
Ficam sem resposta…tal a impossibilidade de transpor o teu muro…
Começo a não querer entender…

Os ares das negras nuvens
Desabam impiedosos
Sobre as águas do meu mar interior…
Vontade de me desprender!
Não é justo desconhecer
Sem que me deixem entender…

Fica-te pelas tuas oscilações entre DIA e NOITE…
Não me arrastarás na voragem do teu egoísmo atroz…

Pedra difícil de moldar…és tu, nesse persistir na dor…

Não há amor que consiga resistir
Quando não pode compreender
Porque não consegue sobreviver…
Até as pedras mais duras
Se deixam burilar…
E daí, deixam entrar flores que se perfilam
Resistentes, aos espaços mais carentes…
Tua aridez faz-me mal!
Teu fechares-te numa concha de coral,
Muito egotista, muito tua,
Pouco natural,
Não consente que, em ti, se desenvolva
A PÉROLA IDEAL…

TEMO-TE,- ser de improvisos!-
com permanentes avisos de… “sou…mas não posso ser”…

Admito que me engano nos pressentimentos…
Mas …- NUNCA!- a vontade da FELICIDADE
Afastou a minha noção de VERDADE!

Não verás as estrelas do firmamento…
Verás só “AS”…do momento…

Vai-te com a tua “dor”…
DEIXA-ME , EM PAZ, por favor…

C9I-(oi)/50/NOV/010